PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Porto acusa Sporting de quebra de protocolos da covid-19 e ameaça W.O.

Shoya Nakajima, durante partida entre Porto e Sporting - Paulo Nascimento / DPI / NurPhoto via Getty Image
Shoya Nakajima, durante partida entre Porto e Sporting Imagem: Paulo Nascimento / DPI / NurPhoto via Getty Image

Colaboração para o UOL, em São Paulo

18/01/2021 19h21

O Porto emitiu um comunicado hoje no qual acusou o Sporting de tentativa de quebra do protocolo da covid-19. As equipes se enfrentam amanhã pela semifinal da Taça da Liga.

Em publicação nas redes sociais, o Porto classificou como "crime público" a intenção do rival de relacionar os jogadores Nuno Mendes e Andraz Sporar para a partida de terça-feira. Os atletas foram diagnosticados com coronavírus, mas segundo o Sporting, trata-se de casos de "falsos positivos".

"No dia em que o governo comunicou um reforço das medidas de combate à propagação da covid-19, o Sporting anunciou a intenção de cometer um atentado à saúde pública. Há apenas quatro dias, os jogadores Nuno Mendes e Sporar testaram positivo para covid-19, na sequência da realização de testes PCR, que, segundo a literatura científica, têm uma taxa de fiabilidade muito próxima dos 100%", começou o comunicado.

"Esta tarde, o Sporting anunciou que os dois atletas estarão em condições de enfrentar o FC Porto já amanhã (...) Esta antecipação em seis dias do fim do isolamento dos dois jogadores do Sporting é um crime público, inaceitável numa altura em que Portugal é líder mundial do número de novos casos de covid-19 por milhão de habitantes e numa fase em que todos os dias se bate o recorde nacional de mortes por esta doença. E é ainda mais incompreensível por ser cometido por um clube presidido por um médico", acrescentou.

Na sequência, o Porto ameaçou desistir da competição caso o cenário não mude. "É uma questão de saúde pública", finalizou.

O duelo entre Sporting e Porto, pela semifinal da Taça da Liga, está previsto para amanhã, às 16h45 (de Brasília). A outra semifinal será entre Braga e Benfica, na quarta-feira.

Leia o comunicado na íntegra:

Em causa o atentado à saúde pública anunciado pelo Sporting

No dia em que o governo comunicou um reforço das medidas de combate à propagação da covid-19, o Sporting anunciou a intenção de cometer um atentado à saúde pública.

Há apenas quatro dias, os jogadores Nuno Mendes e Sporar testaram positivo para covid-19, na sequência da realização de testes PCR, que, segundo a literatura científica, têm uma taxa de fiabilidade muito próxima dos 100%.

Esta tarde, o Sporting anunciou que os dois atletas estarão em condições de enfrentar o FC Porto já amanhã, em jogo da Taça da Liga, o que significa que não cumprirão os dez dias de isolamento que são obrigatórios para quem testou positivo para covid-19, de acordo com o protocolo da Direção-Geral da Saúde assinado pela diretora-geral Graça Freitas.

Esta antecipação em seis dias do fim do isolamento dos dois jogadores do Sporting é um crime público, inaceitável numa altura em que Portugal é líder mundial do número de novos casos de covid-19 por milhão de habitantes e numa fase em que todos os dias se bate o recorde nacional de mortes por esta doença. E é ainda mais incompreensível por ser cometido por um clube presidido por um médico.

O FC Porto comunicou esta situação à Liga e à Direção-Geral da Saúde e vai participá-la à Ordem dos Médicos, na expectativa de que as autoridades façam cumprir a lei, sob pena de ter de repensar a participação na final four da Taça da Liga, para defesa de todos os intervenientes. É uma questão de saúde pública.

Esporte