PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Juventude vence e decreta permanência do Cruzeiro no Brasileiro da Série B

Gol de pênalti do Juventude sacramentou a permanência do Cruzeiro na Série B - Fernando Alves/AGIF
Gol de pênalti do Juventude sacramentou a permanência do Cruzeiro na Série B Imagem: Fernando Alves/AGIF

Do UOL, em Belo Horizonte

16/01/2021 20h57

Agora é oficial: o Cruzeiro vai jogar a próxima edição do Campeonato Brasileiro da Série B. A confirmação matemática veio na noite deste sábado, na derrota de 1 a 0 para o Juventude, no estádio Alfredo Jaconi. O gol da partida que garantiu a vitória dos anfitriões e decretou a permanência da Raposa foi marcado por Rafael Grampola, de pênalti, aos 21 minutos do primeiro tempo.

Agora restam mais três jogos para o término da Série B. Com o empate do CSA com o Avaí por 1 a 1, o Juventude vai aos 55 pontos e agora é o novo quarto colocado da tabela. O Cruzeiro permanece com 44 e fica na 13ª colocação, podendo alcançar no máximo 53 pontos.

Quem foi bem: pelo gol, Grampola dá os três pontos ao Juve

Rafael Grampola não deu um show em campo, mas fez uma boa partida e contribuiu com o principal, convertendo seu pênalti. No Cruzeiro, Pottker foi um dos destaques, apesar da derrota.

Quem foi mal: Matheus Pereira só joga 45 minutos

Acostumado a receber elogios, o garoto de 20 anos não teve uma boa noite e errou muitos cruzamentos no primeiro tempo. Depois do intervalo, Rafael Luiz entrou no seu lugar, mas também não foi nada bem.

Nervosismo e displicência deixam Cruzeiro em desvantagem

Apesar de começar o jogo mais disposto, passando mais tempo no campo de ataque que os anfitriões, o Cruzeiro precisou de 20 minutos para mostrar suas primeiras falhas. A primeira foi no destempero de Rafael Sóbis, que levou o amarelo por causa de uma reclamação pra lá de exagerada. Em seguida, Matheus Pereira abusou da displicência ao puxar Capixaba dentro da área, lance que resultou no pênalti cobrado e anotado por Grampola. 1 a 0 Juve.

Juventude espera, Cruzeiro não se ajuda

Não é porque tem o melhor ataque da Série B que o Juventude se lançou em campo. Principalmente depois do gol, a estratégia dos donos da casa foi de atacar só na boa, com receio de levar um contra-ataque. Capixaba, que sofreu o pênalti (e depois saiu machucado), foi a principal arma nas jogadas individuais. Já o Cruzeiro apostou nas ações pelos lados, mas quase todas sem sucesso, seja na origem das jogadas ou no penúltimo e último passes. Sem empolgar, a Raposa teve na cabeçada de Willian Pottker sua melhor, e talvez única, chegada antes do intervalo.

Cruzeiro melhora e não se omite, mas esbarra nas limitações

A postura do Cruzeiro mudou para melhor no segundo tempo. A maior evolução foi nos chutes a gol, que saíram com mais frequência e perigo. Em um desses lances, Sóbis recebeu de Cáceres e mandou para as redes, mas a arbitragem pegou impedimento do atacante. O Juventude não mudou sua estratégia e até aumentou a "cera" dentro de campo. Aos poucos, o comportamento foi irritando ainda mais os cruzeirenses, que já faziam o suficiente para, pelo menos, igualar o placar do jogo. A Raposa teve até bola na trave, mas o principal não veio.

Cansaço bate e desespero vem acompanhado da derrota

Como o gol de empate não chegava, o desespero e a queda de produção entraram em cena no Cruzeiro. Com o passar do tempo, a queda de produção foi visível, assim como a construção das jogadas, agora sem tanta calma e organização. Esse foi o cenário dos últimos 20 minutos. Melhor para o Juventude, que conseguiu esfriar a partida e comemorou a vitória ao fim dos 90 minutos.

JUVENTUDE 1x0 CRUZEIRO

Motivo: 35ª rodada do Campeonato Brasileiro Série B
Data/Hora: 16/01/2021, às 19h (de Brasília)
Local: Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul (RS)
Árbitro: Paulo Roberto Alves Junior (PR)
Auxiliares: Rafael Trombeta (PR) e Luciano Roggenbaum (PR)

GOL: Rafael Grampola, 21'1ºT (1-0)
Cartões amarelos: Eltinho, Emerson, Neto (JUV), Rafael Sóbis, Airton (CRU)
Cartão vermelho: Não teve.

Juventude: Marcelo Carné; Igor, Wellington (Augusto), Emerson e Eltinho; Gabriel Bispo, Gustavo Bochecha, Renato Cajá (Neto); Capixaba (Matheuzinho), Rafael Grampola (Everton) e Rogério (Roberto). Técnico: Pintado.

Cruzeiro: Fábio; Cáceres, Manoel, Ramon e Matheus Pereira (Rafael Luiz); Adriano, Filipe Machado (Jadson) e Giovanni (Welinton); Airton (Marcelo Moreno), Willian Pottker e Rafael Sóbis. Técnico: Felipão.

Cruzeiro