PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Gabigol explica chuteira: "problema no tornozelo. Falam porque dá Ibope"

Gabigol, atacante do Flamengo, concede entrevista coletiva -  Alexandre Vidal / Flamengo
Gabigol, atacante do Flamengo, concede entrevista coletiva Imagem: Alexandre Vidal / Flamengo

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

15/01/2021 09h50

Classificação e Jogos

Em meio ao ambiente conturbado no Flamengo, o atacante Gabigol falou sobre o momento e rechaçou polêmicas que pipocam sobre o relacionamento do elenco.

Em entrevista coletiva, o camisa 9 ironizou algumas notícias e minimizou o episódio sobre ficar sem chuteira e camisa de jogo. Contra o Ceará, o jogador começou no banco de reservas e seu comportamento chamou atenção.

"Incomoda muito, não quero ficar no banco. Você acha que o Pedro e o Michael ficam felizes no banco? É muito normal na Europa, fiquei no jogo contra o Fortaleza e contra o Ceará (com camisa de treino e sem chuteira). Não vejo como um problema. Fiquei sem a chuteira por estar com um problema no tornozelo. Falam porque dá Ibope. Não existe (problema de relacionamento). Em um grupo de 30 jogadores, você tem afinidade a mais com uma pessoa, isso é normal. São praticamente os mesmos de 2019. Quando ganha não tem "panela", mas quando perde tem. Mas dá ibope, tem grandes jogadores envolvidos. É muito engraçado isso", disse.

O rubro-negro disse que a percepção do torcedor irá mudar apenas com a volta das vitórias. O artilheiro admitiu o mau momento da equipe e disse ser injustas as comparações com 2019:

"É uma mistura de coisas. Não é só incompetência nossa, é mérito do adversário. A gente vem estudando o Goiás. Precisamos melhorar em bolas paradas, em lances que a gente leva os gols. Comparar com 2019 é injusto com qualquer time do Brasil. O que aconteceu em 2019 será muito difícil de acontecer de novo. Temos outros jogadores, outro treinador. A gente briga para ser campeão do Brasileiro. Como um grupo que venceu tudo não pode vencer de novo?"

A sete pontos do líder São Paulo, o Flamengo se prepara para encarar na segunda (18) o Goiás, às 20h, na Serrinha.

Confira outros trechos:

Falta comando?

Temos pessoas que dão respaldo para a gente, não sinto que falta isso (comando). Faltam os resultados. Quando a gente ganha tudo é maravilhoso.

Lideranças

Cada um tem a sua liderança. Tem o Diego Alves, eu, o Gerson, o Rene, o Arão. Não falta liderança, falta vencer os jogos. Aí vai ter líder para caramba.

Poder de reação

Estamos falando de um time que venceu a Libertadores faltando 3 minutos, temos poder de reação. A gente precisa melhorar, talvez matar os jogos antes. Precisa fazer mais gols e levar menos gols.

Relação com Ceni

É muito boa. Falaram que briguei om o Dome, mas sempre tivemos relação boa. Rogério é um espelho para a gente, está sempre do nosso lado falando sobre tudo. Ele está de corpo e alma aqui.

Pressão

Pressão vai ter, é Flamengo. Quem não gosta de uma pressão: Precisamos vencer. É simples assim.

Protesto

Não acho certo, não foi algo tão pacifico, amassou carro de jogadores. Quando vem falar numa boa, é correto. A gente trabalha para vencer, ninguém está aqui para perder o jogo. A gente sabe o quão bom é ser campeão no Flamengo. Eu jogo no Flamengo por causa deles, quero estar na avenida lotada de novo.

Flamengo