PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Sampaoli é absolvido no Pleno do STJD e pode comandar o Atlético-MG

Jorge Sampaoli observa a goleada do Atlético-MG sobre o Flamengo - YURI LAURINDO/O FOTOGRÁFICO/ESTADÃO CONTEÚDO
Jorge Sampaoli observa a goleada do Atlético-MG sobre o Flamengo Imagem: YURI LAURINDO/O FOTOGRÁFICO/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em Belo Horizonte

14/01/2021 17h53

O técnico Jorge Sampaoli escapou de punição e segue apto a comandar o Atlético-MG do banco de reservas nos jogos do Campeonato Brasileiro. O Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) absolveu o treinador, que esteve presente em um dos camarotes do Mineirão na vitória do Galo por 4 a 0 sobre o Flamengo, no jogo de ida do returno do Brasileirão, mesmo cumprindo punição pelo terceiro cartão amarelo.

Denunciado pela Procuradoria da Justiça Desportiva, Sampaoli já havia se livrado de punição no primeiro julgamento na 2ª Comissão Disciplinar da entidade. Na segunda vez em que teve o seu caso analisado, por unanimidade de votos, foi absolvido.

A Procuradoria-Geral do STJD afirmava que Sampaoli descumpriu a regra por estar no Mineirão mesmo suspenso. O órgão ainda citou que o treinador manteve comunicação com Diogo Alves, analista de desempenho, que estava no banco de reservas no dia da vitória em cima do Rubro-Negro, o que não era permitido.

"Em que pese ter uma atuação com evidencias jornalísticas, a fundamentação primordial da Comissão de origem foi se basear no artigo 58-A do CBJD que diz que o ônus incumbe à Procuradoria. A Procuradoria comprovou com material e ficou demonstrada a questão do contato no celular no mesmo tempo...Entende a Procuradoria que é vedado o comparecimento dele e a permanência seria burlar as regras da competição e ainda assim estar presente em um outro setor do estádio fornecendo orientações técnicas que não deveriam fornecer", destacou a subprocuradora-geral Julia Gelli.

Contestando a versão da Procuradoria, o departamento jurídico atleticano, representando por Lucas Ottoni, afirmou que Sampaoli estava presente no estádio respaldado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

"A CBF que faz os protocolos e através do Diretor de Competições deu autorização expressa para o Jorge Sampaoli estar na partida e estava como membro do Staff. Existia autorização expressa da CBF. Ele cumpriu todas as observâncias necessárias para estar no estádio. Não há relato nenhum do delegado ou do árbitro no sentido de uso de eletrônicos. A própria Procuradoria não tem provas concretas dessa comunicação. Não se pode condenar por achismo. O pedido é pela absolvição".

Absolvido, o treinador poderá comandar o Galo na partida contra o Atlético-GO, no domingo, às 18h15, no Mineirão, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Atlético-MG