PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Salários, Felipão, Deivid e crise: presidente explica momento do Cruzeiro

Presidente do Cruzeiro justificou problemas no clube e falou de temas cobrados pela torcida - Gustavo Aleixo
Presidente do Cruzeiro justificou problemas no clube e falou de temas cobrados pela torcida Imagem: Gustavo Aleixo

Do UOL, em Belo Horizonte

14/01/2021 21h42

Classificação e Jogos

O Cruzeiro passa por graves problemas financeiros e não consegue honrar compromissos básicos como ter os salários em dia e o pagamento até de fornecedores. Depois de muita pressão, de cobranças públicas por parte de jogadores e da comissão técnica pelas folhas salariais atrasadas (parte de outubro, integral em novembro e dezembro, além do 13º), o presidente do Cruzeiro apareceu para para explicar a situação do clube em várias frentes.

Sérgio Santos Rodrigues falou sobre a crise financeira no Cruzeiro, permanência de Felipão, venda de Orejuela, sobre o trabalho do agora diretor técnico Deivid e de novas receitas. Os temas foram abordados em entrevista à Rádio Itatiaia na noite de hoje (14), no momento em que o clube divulgava um pronunciamento oficial do presidente em seus canais oficiais.

Veja em tópicos o que disse o presidente do Cruzeiro

Felipão fica ou não?

Quanto ao Felipão, na segunda passada, falamos de diversas questões, de reforços, pré-temporada. Nos nossos diálogos, não foi nos passado nada, por parte dele, que ele vai sair do Cruzeiro. Ele tem contrato até o fim do ano que vem. Quando fechamos, falamos que, ainda que não subisse, era um planejamento para eles nos ajudar. Então, o diálogo é nesse sentido.

Venda de Orejuela

Orejeula, não, simplesmente o Grêmio tinha que exercer, a gente estava tentando a questão da antecipação. A gente não conseguiu antecipar e, se a gente conseguisse, se eles dessem a carta antes, daria desconto para pagamento. A gente não conseguiu antecipar, chegou o momento que eles queriam o desconto. A gente não concordava, se eles fossem exercer, seria o momento integral. Temos outras propostas para ele e vamos trabalhar nela - disse o dirigente sobre o lateral que já se reapresentou na Toca.

Dedé na Justiça

Sobre o Dedé, nunca estive com ele, cheguei depois que ele já estava no Rio. Foi feita reunião com os dois empresários, sim, a gente já tem conversado, é complicada a situação. Essa atitude que ele tomou. Já estamos buscando contato com empresários dele, para resolver a situação. Tem audiência marcada, mas vamos ver se resolvemos isso antes.

Trabalho de Deivid

Assim, a gente sabe que, infelizmente, futebol é resultado do momento. Ontem mesmo falei com o vice do Flamengo, um ano e meio, a mesma diretoria foi apedrejada essa semana. Houve muita reclamação. A mesma diretoria. Então, assim como resultado não dá certo, quando ganhamos as sete primeiras, ganhamos quatro e empatamos três, não tinha esse questionamento. Deivid veio para ser diretor técnico, era o objetivo, mas no momento que o cargo fica vazio, ele assume (direção do futebol), agora retorna para o cargo de diretor técnico, que era função que ele fazia como ex-atleta, interlocução com base, diálogo com o clube. Mas, assim, as pessoas falam que contratações equivocadas é culpa do diretor de futebol (...) o trabalho do diretor é mais do que isso. Até porque as contratações passam pela gente, por outros momentos. Independentemente do Mazzuco continuar ou não, vamos trabalhar com o Felipão. É claro que a gente errou e vai errar. Como erra todo dia. Mas somos um time. Não era um só. Eu só acho equivocado, porque na conjuntura toda, então, assim, o ajuste que a gente fez foi isso.

Dinheiro para o caixa?

Só o patrocínio deles está vendido para 2021 (Supermercados BH). Todas as outras propriedades do nosso uniforme, a gente ainda tem para vender nesse ano. Semana que vem vamos anunciar propriedade que a gente já fechou, propriedade no meião que nunca tinha sido vendido antes. A gente vai buscar dinheiro disso. Temos parcelas para receber da TV Globo ainda, vamos ter operação da sede, um grande diferencial que a gente vai anunciar, que vai gerar receita pelo clube. Creio que em janeiro a gente consiga fazer operação de atletas, já tivemos proposta na mesa, tivemos proposta baixa recusada. Agora em fevereiro, o sócio vence agora. Vamos ter uma grande gama de renovação. Na nossa gestão, só subiu arrecadação com sócio. É busca formato de arrecadação, que não só depende do TV. Criticavam as lives, mas cada live daquela rendia dinheiro para o clube, pois cada live vendíamos propriedade, e ela contribuía para pagamento de salário num momento de pandemia e sem futebol.

Cruzeiro