PUBLICIDADE
Topo

Sport

Presidente do Sport esquece mão e cobra falta em Hernane contra o Palmeiras

Hernane Brocador enfrenta marcação do palmeirense Alan Empereur - Paulo Paiva/AGIF
Hernane Brocador enfrenta marcação do palmeirense Alan Empereur Imagem: Paulo Paiva/AGIF

Colaboração para o UOL, em São Paulo

11/01/2021 20h22

Classificação e Jogos

No dia seguinte à polêmica do jogo entre Sport e Palmeiras, que terminou com vitória Alviverde e muita reclamação rubro-negra por conta de um lance de pênalti anulado, o presidente do clube pernambucano falou sobre o pedido de anulação da partida que foi enviado à CBF. Em entrevista ao Futebol na Veia, da ESPN, Milton Bivar explanou a revolta com o lance de falta em Hernane e questionou a atuação do VAR no Brasil.

"São notícias de infração disciplinar esportiva, que vínhamos fazendo. Já eram 8 embasadas no mal-uso do VAR, agora chegamos à nona notícia encaminhada à CBF nesse jogo contra o Palmeiras. Esse pênalti que está todo mundo falando, da interpretação se é ou não é, as pessoas estão se pegando no segundo lance. Mas, a gente teve a prática de três esportes dentro da área naquele lance. A gente teve o futebol, o judô, porque o Hernane Brocador foi derrubado pelo zagueiro do Palmeiras, num golpe de judô, e temos o vôlei. Então, eu me apego muito mais ao primeiro lance, um lance claro que o Hernane é derrubado na área. A minha reclamação fundamental, e que nem analisado esse lance foi, é do Brocador derrubado dentro da pequena área", disse o presidente.

O cartola ainda se mostrou preocupado com a utilização do VAR brasileiro e questionou sua função. "Me preocupa uma tecnologia que dá certo no mundo todo e aqui os árbitros do VAR nem se dão o trabalho de analisar esse lance. Isso foi uma demonstração clara de descaso. Se vocês quiserem parar de falar do lance de mão, eu topo. Vamos falar desse primeiro lance, que poucos se atentaram a ele"

"A gente precisa sair da subjetividade. Quando você vê tem a polêmica que foi gerada por esse lance, a gente traz a possibilidade de uma autoridade assistindo um vídeo dentro de uma cabine ter o poder de decisão de analisar ou não um lance, acho que a gente se perde. O VAR, quando ele tem a missão de auxiliar o árbitro em campo e não de passar por cima de sua autoridade em campo, acho que a gente passa por um desvio de função. E desvio de função dá margem para essa confusão que a gente tá vivendo agora", completou Bivar.

O presidente ainda explicou o pedido feito pelo clube para não contar mais com o VAR em seus jogos. "No momento em que existe o critério da subjetividade, a gente anula a importância da tecnologia. Nosso pedido para não ter o VAR, da forma como ele está sendo utilizado, é preferível não ter. Acompanhando a Série B e não vejo um nível de reclamação de polêmicas menor que o da Série A, e lá não tem VAR, ou seja, isso é uma demonstração cabal de que não está melhorando", concluiu.

Com a derrota para o Palmeiras dentro de casa, o Sport vê a zona de rebaixamento se aproximar. Sâo 32 pontos somados e o Bahia, primeiro do Z4, tem 29.

Sport