PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Mauro: A maior armadilha do Flamengo é achar que tudo se resume ao técnico

Do UOL, em São Paulo

11/01/2021 18h05

Classificação e Jogos

O Flamengo sofreu sua segunda derrota consecutiva na partida diante do Ceará e chegou a três jogos sem vencer no Brasileirão, justamente em rodadas nas quais o líder São Paulo também foi derrotado. Com a chance desperdiçada de se aproximar da liderança, e atuações abaixo do esperado, o técnico Rogério Ceni foi questionado por parte da torcida do clube rubro-negro, tendo até mesmo sua permanência até o fim da temporada como incerta.

No podcast Posse de Bola #90, Mauro Cezar Pereira afirma que Rogério tem sim responsabilidade pelo momento ruim dentro de campo, mas considera que o treinador não é o único problema do Flamengo, citando o momento de disputa política nos bastidores e também o desempenho dos jogadores abaixo do esperado.

"Falar que o Rogerio Ceni é responsável é a coisa mais fácil do mundo, serve para tirar responsabilidade dos ombros de dirigentes, do Marcos Braz, do Bruno Spindel, do Bap, do Landim, do tal do conselhinho do futebol, de todo esse pessoal. Bota toda a culpa no técnico? Vamos distribuir. Parte dele, parte dos dirigentes, a disputa política, que interfere no dia a dia no CT", diz Mauro Cezar.

O jornalista lembra que no início do ano passado, quando o time ainda era treinado por Jorge Jesus, os possíveis obstáculos do Flamengo foram listados em seu blog no UOL, questões que hoje estão aparecendo. Para ele, os problemas do Rubro-negro vão muito além do campo, além de considerar o que os próprios jogadores estão apresentando.

"A confusão é muito mais complexa, o buraco é muito mais embaixo, não se limita ao técnico. O Dome não servia e o Ceni não serve também, por que será? Porque nenhum dos dois tem o estilo do Jesus, a autonomia e a força que português tinha para botar banca com aquele elenco? É muito esquisito, muito esquisito, eu acho que a maior tolice e a maior armadilha que pode cair o torcedor do Flamengo hoje é achar que tudo se resume ao técnico", diz Mauro Cezar.

"Ele tem uma grande responsabilidade, é óbvio que tem, é evidente que tem, é chover no molhado falar isso, mas tem muito mais coisas envolvidas, não é possível que as pessoas se limitem a isso, ou o torcedor olhe para o campo, veja aqueles jogadores fazendo o que estão fazendo, ou não estão fazendo, e acha que foi o técnico que mandou jogar daquela maneira", completa.

O fato de o Flamengo ter eleições no fim de 2021, com a indefinição de Rodolfo Landim ser ou não candidato e outras questões políticas também parecem afetar o momento conturbado, na análise do jornalista.

"Passa por um time que está mal treinado, por culpa do técnico, dos jogadores e de dirigentes que vivem se engalfinhando em um ano político e que não resolvem nada, o Flamengo não é a prioridade desse pessoal nesse momento, não me parece. Não só do Marcos Braz, que foi candidato e que muito foi falado, mas também de outros, que parecem preocupados com a eleição e com outras coisas. Essas pessoas estão preocupadas realmente com o Flamengo? Essa é a prioridade deles?", questiona.

Dentro de campo, Mauro afirma que Rogério Ceni errou ao escalar contra o Ceará o goleiro César no lugar de Hugo, que vinha atuando no lugar do titular Diego Alves, mas aponta que houve falhas de outros atletas, como Willian Arão, Gerson e Arrascaeta na derrota para o time cearense no Maracanã.

"O Gustavo Henrique não falhou no gol, quem falhou no gol foi Arão, quem falhou no gol foi Gerson, quem falhou no gol que abriu o placar, que foi o gol que definiu praticamente a coisa, o outro só fechou o caixão. Quem falhou foi o Arrascaeta. 12 minutos e o Arrascaeta volta andando, o Vina está sozinho esperando a bola chegar a ele, o Arão e o Gerson estão do outro lado do campo e toda aquela área do lado esquerdo da defesa livre para o melhor jogador do Ceará chegar e arrematar com total liberdade. Com 12 minutos! Alguém acha que o Rogério Ceni treina o time para jogar assim? Claro que não", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol