PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Cruzeiro inicia ano do centenário com incertezas em relação ao elenco

Felipão tem mais seis jogos no comando da Raposa para fechar calendário de 2020 - Fernando Moreno/AGIF
Felipão tem mais seis jogos no comando da Raposa para fechar calendário de 2020 Imagem: Fernando Moreno/AGIF

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

05/01/2021 04h00

Classificação e Jogos

Passada a euforia e a principal comemoração pela data do centenário, o Cruzeiro volta à sua realidade e foca atenções no fim do calendário de 2020, que adentrou este ano por causa dos efeitos da pandemia da Covid-19. Faltando seis rodadas para o fim da Série B e com 0,3% de chance de acesso à elite do Brasileirão — de acordo com o Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) — os bastidores do clube já se movimentam pela formação do time ao término do Nacional.

Haverá grande redução salarial no elenco tendo em vista que as receitas seguirão comprometidas pelo não retorno à Série A. Com isso, jogadores ou já se despediram ou o farão muito em breve. Caso do meia Régis, cujo contrato terminou em 31 de dezembro, e não foi renovado. Assim como Arthur Caíke, que tem vínculo até 31 de janeiro, mas o valor cobrado pelo Al Shabab, dos Emirados Árabes Unidos, para que o meia-atacante permaneça está fora da realidade financeira celeste.

Os problemas financeiros ainda por obrigações da última temporada, que têm na venda do lateral direito Orejuela para o Grêmio uma espécie de antídoto, ainda não puderam ser resolvidos. A negociação entre Raposa e Tricolor gaúcho travou e não há resolução até o momento. Os dirigentes gremistas alegam que a diretoria cruzeirense mudou de última hora detalhes de um acordo que já estava alinhado. Esse seria o grande empecilho no momento para impedir a finalização da transferência. O contrato do colombiano com o Cruzeiro já foi até reativado na Confederação Brasileira de Futebol.

Há pendência no clube com o 13º salário que não foi quitado integralmente e a folha de janeiro vai vencer nos próximos dias, problemas que a diretoria terá que solucionar.

Das boas notícias a permanência do goleiro Fábio, um dos pilares do time e ídolo da torcida. Recordista de jogos com a camisa do Cruzeiro, o camisa 1 será peça importante dentro de campo para uma temporada de mais sucesso que a anterior.

Fábio renovou contrato até o fim de 2021. Titular desde 2005, ele já fez 917 partidas pelo clube e venceu 12 campeonatos: duas vezes o Brasileiro (2013 e 2014), três Copas do Brasil (2000, 2017 e 2018) e sete mineiros.

"Como já disse outras vezes, o Cruzeiro na minha vida entrelaça o lado pessoal e o profissional. Fico feliz por fazer parte dessa história vitoriosa, são mais de 15 anos aqui. Estar participando do centenário é mais um sonho realizado, porque quando cheguei isso era uma coisa longe, distante e difícil de acontecer", comentou o goleiro.

Felipão

Apesar de ter contrato com o Cruzeiro, a situação do treinador ainda será definida. O prestígio de Luiz Felipe Scolari mundo afora é grande, inclusive ele teve seu nome cotado para assumir a seleção do Chile.

A sequência do projeto do Cruzeiro em 2021 serão importantes para a permanência do treinador.

Cruzeiro