PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Tuchel lamentou "falta de valorização" do PSG um dia antes de demissão

Técnico citou que clube tem "muitas influências que vão muito além dos interesses da equipe" - REUTERS/Regis Duvignau
Técnico citou que clube tem "muitas influências que vão muito além dos interesses da equipe" Imagem: REUTERS/Regis Duvignau

Do UOL, em São Paulo

24/12/2020 09h09

Demitido do PSG nesta manhã segundo o L'Equipe, o técnico Thomas Tuchel deu ontem uma entrevista ao canal Sport1, da Alemanha, em que lamentou a falta de valorização de seu trabalho depois da última temporada.

Para jornais europeus, este pode ter sido o principal motivo da queda, já que a equipe, nos últimos dez jogos, perdeu apenas duas vezes e venceu outras seis partidas - garantindo, inclusive, a classificação para as oitavas de final da Liga dos Campeões na 1ª posição de seu grupo.

O treinador citou o Bayern de Munique ao ser questionado sobre as expectativas internas em torno da última edição do torneio continental. Na ocasião, o PSG chegou à final e foi superado justamente pela equipe alemã.

"Faltava um jogo para vencermos a Champions League e nunca tivemos a sensação de que tínhamos convencido as pessoas e que elas reconheciam o nosso trabalho. Por vezes também fiquei um pouco triste ou zangado. Em todo o caso, há expectativas extremas no clube. Você tem a sensação de que o apreço pelo campeonato não existe como no Bayern de Munique, por exemplo", disse Tuchel horas antes de ser demitido.

Ele também abordou o fato de lidar com "estrelas" na equipe e, mais uma vez, abordou a diretoria da equipe - desta vez, indiretamente.

"Às vezes é muito fácil, às vezes é um grande desafio [treinar astros mundiais], porque num clube como o PSG existem muitas influências que vão muito além dos interesses da equipe. Por isso é um grande desafio deixar os atletas felizes."

Por fim, Tuchel afirmou ter aprendido que "não deve depender do que os outros pensam" em relação ao trabalho.

Futebol