PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Lateral é 1ª transexual a jogar no futebol feminino profissional do Brasil

Sheilla, atleta da Lusaca - Divulgação
Sheilla, atleta da Lusaca Imagem: Divulgação

Gabryella Garcia

Colaboração para UOL

20/12/2020 12h35

Hoje é um dia histórico para o futebol feminino e para a comunidade trans no Brasil. Sheilla Souza, de 21 anos, se tornará a primeira mulher transexual a disputar uma partida profissional de futebol feminino no Brasil.

A atleta, que atua como lateral-direita, treina com a equipe feminina do Desportiva Lusaca desde o mês de junho e, depois de seis meses de espera, finalmente fará sua estreia. A Lusaca é uma equipe de Camaçari (BA) e se intitula um clube afro-brasileiro, com apenas atletas negras na equipe. O time, inclusive, já foi campeão baiano feminino no ano de 2017.

A partida amistosa que marca a estreia de Sheilla será disputada contra o Centro de Formação de Futebol da Bahia (CFFB) no estádio Pituaçu às 14h. É também o último compromisso da Lusaca na temporada, que entrará de férias após a partida.

Leon Ferreira, diretor de imprensa e avaliador técnico da equipe, afirmou que a expectativa é que hoje fique marcado como o início de uma carreira vitoriosa da atleta.

Resolvemos dar a oportunidade pela sua história e luta de estar no futebol feminino e não receber oportunidades. Hoje ela faz parte da equipe e a expectativa é que a gente consiga lançar ela e seja o início de uma carreira muito vitoriosa."

O processo de regularização de Sheilla, que mora no CT da equipe para receber todo o apoio e acompanhamento, também já está em andamento. Os exames hormonais da jogadora foram encaminhados para a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e para a FBF (Federação Baiana de Futebol), e o clube aguarda sua inscrição para o mês de janeiro.

No Brasil já houve casos de jogadoras transexuais que disputaram partidas de futebol feminino —Sheilla já atuou pelo Serrinha (BA)—, mas todos as equipes eram semi-profissionais.

Futebol