PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Palmeiras volta a jogar bem e vence o Bahia com facilidade no Brasileirão

Willian comemora o primeiro gol do Palmeiras na partida contra o Bahia pelo Brasileirão - ANDERSON LIRA/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Willian comemora o primeiro gol do Palmeiras na partida contra o Bahia pelo Brasileirão Imagem: ANDERSON LIRA/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

12/12/2020 20h51

O Palmeiras venceu o Bahia por 3 a 0, hoje (12), no Allianz Parque, em partida válida pela 25ª rodada do Brasileirão 2020. O Alviverde voltou a jogar bem e abriu uma vantagem de três gols no marcador antes mesmo do intervalo.

Willian abriu o placar logo aos cinco minutos, após boa jogada de Mayke pela direita. Raphael Veiga, de pênalti, aumentou a conta e serviu Rony, que aos 42 da primeira etapa fez o terceiro do Verdão.

Com o resultado, os donos da casa sobem para a quarta colocação, com 41 pontos em 24 jogos. O Bahia, por sua vez, perde pela quarta vez seguida na competição nacional, cai para a 14ª posição e está somente quatro pontos acima do Vasco, que abre a zona de rebaixamento, mas tem dois jogos a menos que o Tricolor baiano.

O Palmeiras volta a campo contra o Libertad-PAR, na terça (15), às 21h30 (de Brasília), pelo jogo de volta das quartas de final da Copa Libertadores. O Bahia, por sua vez, só joga novamente no próximo domingo (20), às 18h15 (de Brasília), contra o Flamengo, no Maracanã.

O melhor: Raphael Veiga brilha em apenas 60 minutos

O meia esteve em campo somente até os 15 minutos do segundo tempo, mas foi determinante na forma eficiente e intensa com que o Palmeiras construiu a vitória na noite de hoje. Com um gol e uma belíssima assistência, Veiga ganhou ainda mais pontos com Abel.

O pior: Matheus Bahia abriu espaços para o Palmeiras construir a vitória

O lateral esquerdo não teve uma boa exibição e teve seu setor explorado pelo Palmeiras desde a primeira jogada de ataque dos donos da casa. O gol que abriu o placar foi construído por ali, além de o pênalti cometido por Matheus ter dificultado ainda mais o cenário para o Bahia.

Atuação do Palmeiras

Após o empate em 1 a 1 contra o Libertad-PAR, no que talvez tenha sido o pior desempenho do Palmeiras desde a chegada de Abel Ferreira, o Alviverde voltou a jogar bem diante do atrevido time do Bahia. O Tricolor, inclusive, poderia ter aberto o placar ainda no primeiro minuto. Entretanto, essa postura agressiva dos visitantes parece ter sido tudo o que o Palmeiras precisava.

Sem afobação, o Verdão aproveitou os espaços deixados pela equipe baiana, em desvantagem no placar desde os cinco minutos, e foi extremamente eficiente e seguro com a bola no pé. Passava a impressão de que poderia decidir o jogo caso tivesse uma oportunidade. E assim chegou a uma vantagem de três gols antes do intervalo.

Adotou uma postura claramente reativa na segunda etapa, correndo algum riscos, mas apostando em sua capacidade de contragolpear em velocidade. Soube administrar bem o resultado e ganhou moral para a partida decisiva contra o Libertad-PAR, na terça-feira (15).

Atuação do Bahia

Atrevido desde o primeiro lance, o pecado do Bahia na etapa inicial claramente foi ter se exposto em excesso após sofrer um gol logo aos cinco minutos. Apesar de também ter criado boas oportunidades, esteve longe de ser tão efetivo quanto o adversário e, por isso, terminou o primeiro tempo com uma desvantagem incompatível com a qualidade que possui sua equipe titular.

O time voltou novamente ofensivo do intervalo e criou duas grandes chances nos primeiros 15 minutos do segundo tempo: a primeira com Gabriel Menino quase marcando contra, e a segunda com Nino Paraíba, lance em que Weverton fez duas grandes defesas e evitou o gol.

Manteve essa postura até o fim da partida, mas pela soma de ansiedade e menor capacidade técnica em relação ao adversário, não conseguiu diminuir a desvantagem. A prova disso é que o time baiano finalizou 19 vezes, contra 15 dos donos da casa.

Cronologia do jogo

Pouco depois dos dez segundos de jogo, Gilberto arriscou de fora da área e exigiu uma bela defesa do goleiro Weverton. Dois minutos depois, confirmando a blitz baiana, o camisa 9 do Tricolor voltou a levar perigo ao quase roubar a bola do zagueiro Kuscevic dentro da área.

Apesar da postura corajosa, os visitantes sofreram um duro golpe logo aos cinco minutos, assim como já havia acontecido na quarta (9) contra o Defensa y Justicia-ARG. Após uma boa troca de passes iniciada no ataque por Willian, o próprio atacante aproveitou a sobra do cruzamento de Mayke, mal espalmado por Douglas, e, com calma, empurrou para o gol.

Aos 33 minutos, Mayke novamente encontrou espaço e tabelou pelo lado esquerdo do ataque com Breno Lopes, que foi derrubado dentro da área após um carrinho dado por Matheus Bahia. Raphael Veiga cobrou forte e no alto do canto direito de Douglas, ampliando o placar para o Palmeiras.

A três minutos do fim da primeira etapa, Raphael Veiga executa um belo lançamento para Rony, que domina de costas e gira com categoria para fazer o terceiro do Verdão.

Aos 15 da segunda etapa, Nino Paraíba finalizou à queima-roupa em Weverton, que defendeu não apenas o chute do lateral, como também a tentativa de Ronaldo no rebote.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 3 x 0 BAHIA

Data: 12 de dezembro de 2020, sábado
Horário: 19h (de Brasília)
Local: Allianz Parque, em São Paulo-SP
Árbitro: Rafael Traci (SC)
Assistentes: Kleber Lucio Gil e Helton Nunes (ambos de SC)
VAR: Rodrigo Dalonso Ferreira (AB/SC)
Cartões amarelos: Índio Ramírez, Gregore e Clayson (Bahia); Alan Empereur e Marcos Rocha (Palmeiras)

GOLS: Willian (Palmeiras), aos cinco minutos do 1º tempo; Raphael Veiga (Palmeiras), aos 35 do 1º tempo; Rony (Palmeiras), aos 42 do 1º tempo.

Palmeiras: Weverton; Mayke, Kuscevic, Gustavo Gómez (Alan Empereur), Matías Viña (Marcos Rocha); Emerson Santos (Luan), Gabriel Menino e Raphael Veiga (Gustavo Scarpa); Breno Lopes, Rony e Willian. Técnico: Vitor Castanheira (auxiliar)

Bahia: Douglas; Ernando, Anderson Martins (Nino Paraíba), Juninho e Matheus Bahia (Clayson); Gregore, Ronaldo, Zeca e Índio Ramírez (Fessin); Rodriguinho (Rossi) e Gilberto (Gabriel Novaes). Técnico: Sidnei Lobo (auxiliar)

Futebol