PUBLICIDADE
Topo

Botafogo

'Esquecidos', Helerson e Lucas Campos esperam por novas chances no Botafogo

Lucas Campos, atacante do Botafogo - Vitor Silva/Botafogo
Lucas Campos, atacante do Botafogo Imagem: Vitor Silva/Botafogo

Alexandre Araújo e Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

04/12/2020 04h00

Outrora 'esquecidos', o zagueiro Helerson e o atacante Lucas Campos vivem a expectativa de ganharem novas oportunidades no Botafogo, atualmente sob o comando do técnico Eduardo Barroca e, quem sabe, mudarem o rumo na reta final de contrato. O treinador retornou a General Severiano recentemente e ainda dá os primeiros passos no trabalho à frente da equipe, que luta para sair da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

Crias da base, os dois foram reintegrados ao elenco há quase dois meses, mas não foram utilizados por Bruno Lazaroni, pelo interino Flávio Tênius e nem por Emiliano Díaz, filho e auxiliar do argentino Ramón Díaz — demitido antes mesmo de estrear.

Agora, reencontram Barroca, com quem trabalharam ainda nas categorias inferiores e foram campeões do Brasileiro sub-20, em 2016. Aquele time também contava com Kanu e Marcelo Benevenuto, atual dupla de zaga titular.

Inscritos no Brasileiro e à disposição da comissão técnica, eles podem se tornar alternativas em uma equipe que busca se recuperar no Brasileiro e afastar as chances de queda à Série B.

Os dois jogadores voltam ao radar depois de situações distintas. Helerson foi afastado do elenco em junho, após ser flagrado jogando uma "pelada", descumprindo as orientações do clube em meio à pandemia de coronavírus. À época, o ato foi considerado grave e o zagueiro foi colocado na prateleira de nomes fora dos planos. O atacante Igor Cássio, também envolvido no caso, foi igualmente afastado na ocasião e, posteriormente, negociado junto ao Porto B, de Portugal.

Lucas Campos, por sua vez, não vinha sendo utilizado e a diretoria chegou a estudar negociações pelo jogador, mas que acabaram não avançado da forma imaginada. Ele atuou em apenas duas partidas nesta temporada, ambas pelo Campeonato Carioca, contra Volta Redonda e Madureira.

Em outubro, o Alvinegro avisou que os dois e o volante Cícero voltariam ao elenco. O vínculo dos três vai até o fim do ano e a diretoria analisa diversas situações no grupo, uma vez que a temporada vai terminar apenas em fevereiro.

Diretoria buscou atacante

Durante a janela de transferência, a diretoria do Botafogo foi ao mercado e tinha a intenção de fechar com dois atacantes de lado de campo. Negociações por Ronald, do Botafogo-SP, chegaram a um estágio bem avançado, mas não se concretizaram. O Alvinegro acabou acertando apenas com Angulo, por empréstimo junto ao Palmeiras.

Com a chegada de Ramón Díaz, a cúpula mudou o foco e buscou um volante, mas não conseguiu sucesso.

Atualmente, para o setor ofensivo, Barroca tem como opções, além do já citado Angulo, o marfinense Kalou, Rhuan, Lecaros, Warley, Matheus Nascimento, Kelvin, Davi Araújo e Lucas Campos.

Cícero vive situação parecida

Volante Cícero voltou a atuar pelo Botafogo na partida contra o Grêmio, pelo Brasileiro - Vitor Silva/Botafogo - Vitor Silva/Botafogo
Imagem: Vitor Silva/Botafogo

O experiente volante Cícero vive situação parecida. A última vez que atuou foi no duelo com o Cuiabá, no Nilton Santos, pela Copa do Brasil, quando chegou a ser titular — a derrota naquela partida causou a demissão de Bruno Lazaroni. Desde então, não foi utilizado por Flávio Tênius nem relacionado por Emiliano Díaz nos jogos contra o Fortaleza e Atlético-MG.

Botafogo