PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Neymar e Marquinhos repetem R9 e Kaká com atuações decisivas em Manchester

Neymar comemora gol do PSG contra o Manchester United, pela Liga dos Campeões - Getty Images
Neymar comemora gol do PSG contra o Manchester United, pela Liga dos Campeões Imagem: Getty Images

João Henrique Marques

Colaboração para o UOL, em Paris

03/12/2020 04h00

Marquinhos e Neymar foram o destaque do Paris Saint-Germain na vitória por 3 a 1 contra o Manchester United, na noite desta quarta-feira, pela Liga dos Campeões. Com gols e atuações decisivas eles lembraram brilhantes performances de craques brasileiros como Kaká e Ronaldo no Old Trafford, o mítico estádio do time inglês.

Neymar marcou dois gols na partida, sendo também destaque pela jogada do terceiro gol do PSG em que rouba a bola e conduz o contra-ataque antes de marcar. Já Marquinhos fez o importante gol que originou a vantagem por 2 a 1 na reta final do segundo tempo aproveitando rebote na área após cobrança de escanteio.

"Essa vitória é boa para a equipe, nos dá ainda mais confiança. Estamos muito felizes. Esses três pontos eram necessários aqui. Também estou feliz pelo desempenho da equipe. Passamos por momentos complicados, mas jogamos com coragem", relatou o capitão Marquinhos em entrevista ao canal Esporte Interativo após a partida.

"Se não mudasse nossa atitude, poderíamos desistir (de ganhar a Champions), mas mudamos. Nunca passou pela minha cabeça ficar fora da Champions. Sempre passou que eu consigo crescer, chamar a responsabilidade nos momentos de dificuldade. Não vim aqui para jogar Europa League com o PSG", disse Neymar citando a competição de 2º escalão da Uefa.

Para conseguir a esperada classificação do grupo H, o PSG precisa, ao menos, empatar com o ?stanbul Ba?ak?ehir, no Parque dos Príncipes, em Paris, na próxima semana. Já a outra vaga será decidida em um confronto direto entre Leipzig x Manchester United, na Alemanha - o time inglês tem a vantagem do empate -.

As atuações decisivas de Neymar e Marquinhos foram destacadas na França. Tanto o jornal L´Equipe como o Le Parisien colocaram os brasileiros como melhores jogadores do PSG: "Marquinhos sempre salva o PSG com gols importantes e sua raça. Neymar fez partida de um verdadeiro líder", registrou o Le Parisien.

Revivendo Kaká e Ronaldo

O Old Trafford é palco de um dos maiores jogos da carreira de Ronaldo. Diante do Manchester United também pela Liga dos Campeões, o brasileiro foi decisivo com três gols para colocar o Real Madrid na semifinal, em de abril de 2003.

O duelo foi vencido pelo Manchester United por 4 a 3, mas como o confronto de ida terminou 3 a 1 para o Real, os gols de Ronaldo foram os responsáveis pela vaga. O brasileiro foi substituído nos minutos finais do jogo e aplaudido de pé pela torcida inglesa.

Já em 2007, Kaká também entrou para a história do estádio com bela atuação contra o Manchester United com dois gols na derrota por 3 a 2 pela semifinal da Liga dos Campeões. O meia impediu o time inglês de abrir grande vantagem no confronto de ida, e ainda foi figura central no triunfo por 3 a 0 na partida de volta.

A atuação de Kaká e seus gols no Old Trafford são imagens marcantes do futebol e sempre exibidas pela UEFA no registro do título do Milan em 2007. Nesta temporada, o brasileiro levou o prêmio Bola de Ouro de melhor jogador do Mundo.

Neymar explica bronca no PSG

"Se não mudasse nossa atitude, poderíamos desistir (de ganhar a Champions), mas mudamos. Nunca passou pela minha cabeça ficar fora da Champions. Sempre passou que eu consigo crescer, chamar a responsabilidade nos momentos de dificuldade. Não vim aqui para jogar Europa League com o PSG", disse Neymar citando a competição de 2º escalão da Uefa.

Para conseguir a esperada classificação do grupo H, o PSG precisa, ao menos, empatar com o ?stanbul Ba?ak?ehir, no Parque dos Príncipes, em Paris, na próxima semana. Já a outra vaga será decidida em um confronto direto entre Leipzig x Manchester United, na Alemanha - o time inglês tem a vantagem do empate -.

A proximidade da vaga deixou Neymar eufórico. Dias antes do jogo, o atacante já havia dado uma bronca pública no time cobrando jogo coletivo e dizia tratar a vitória diante do Manchester United como uma obrigação.

"Acho que me entenderam errado numa coisa: não cobrei companheirismo de jeito nenhum. Companheirismo nosso time sempre teve, mas, dentro de campo, faltava mais simplificar as coisas, correr um pelo outro, ajustar detalhes taticamente, mentalmente também", afirmou.

"Mas aqui é um grande grupo, todos se gostam. Nunca faltou isso, é mais dentro de campo, deixar companheiro mais fácil, ajudar na marcação, simplificar passe. Foi o que quis dizer. Hoje, a gente demonstrou que pode chegar no melhor nível. E isso é óbvio. Qualidade não precisa demonstrar, porque nosso time tem muita", complementou.

Futebol