PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Dois gols e aproveitamento de 22%: Inter desaba desde saída de Coudet

O Inter de D"Alessandro perdeu para o Boca Juniors por 1 a 0 no Beira-Rio - Fernando Alves/AGIF
O Inter de D'Alessandro perdeu para o Boca Juniors por 1 a 0 no Beira-Rio Imagem: Fernando Alves/AGIF

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

03/12/2020 04h00

Classificação e Jogos

O Internacional desabou. Ontem (2), perdeu para o Boca Juniors por 1 a 0, no Beira-Rio, e se complicou na briga pela vaga às quartas de final da Copa Libertadores. Já fora da Copa do Brasil e distante do topo do Campeonato Brasileiro, o time caiu em praticamente todos os aspectos desde a saída do treinador Eduardo Coudet.

Isso que, contra o Boca, a equipe fez sua melhor atuação com a atual comissão técnica. Evoluiu coletivamente, teve oportunidades de gol, acertou a trave, mas sofreu com os problemas que vem tendo desde que o comandante argentino foi embora. O principal defeito é a falta de gols.

Foram apenas dois gols feitos nos últimos seis jogos. Um de Yuri Alberto, já nos acréscimos do jogo de volta contra o América-MG, na Copa do Brasil — o Colorado acabou eliminado nos pênaltis —, e outro de Mauricio, no primeiro tempo do duelo com Fluminense, pelo Brasileirão.

Por outro lado, a defesa vazou bastante. O Colorado sofreu seis gols, média de um por partida.

"Vínhamos fazendo bons jogos, em três competições. Nos últimos jogos falhamos muito. E quando falha contra times grandes é difícil, eles marcam e nos dificultam ainda mais. Temos que nos fechar. Temos um jogo importante domingo [contra o Atlético-MG, pelo Brasileiro] e quarta-feira [volta contra o Boca], vamos dar a vida lá na Argentina", disse o volante Rodrigo Dourado.

O aproveitamento caiu sensivelmente. O desempenho nos últimos 30 dias deixa muito a desejar, uma vez que o Colorado soma quatro derrotas, um empate e uma vitória com a atual comissão técnica. Aproveitamento de 22,2%.

"A gente luta e trabalha forte para conseguir as vitórias. Não tem muito o que falar. Estamos tristes pelos últimos resultados. É futebol, temos que estar focados, fechados. Vamos trabalhar, e acredito na classificação, na Argentina. Vamos tentar mobilizar a todos para acreditarem também", acrescentou Dourado.

Os problemas do Inter vão além do campo. Abel Braga testou positivo para Covid-19 há cerca de duas semanas e ainda não conseguiu voltar. Os treinamentos e jogos estão sendo comandados pelos auxiliares da comissão técnica. Até mesmo a participação nos jogos seguintes é incerta.

Com Abel ou sua comissão à beira do gramado, o Inter já utilizou três esquemas e quase todos os jogadores disponíveis no elenco. Houve evolução, na avaliação interna, e, contra o Boca, apesar do resultado, o time teve sua melhor atuação. A crença é que o caminho foi encontrado, mas ainda falta concretizar isso.

"Neste período, o time teve uma atuação boa hoje. Mas o que vale é o resultado. Algumas pessoas analisam, outras não. Pelo volume, as oportunidades que tivemos, contra um adversário muito difícil, o Inter se comportou bem. Mas tomamos o gol e acabamos derrotados", disse Leomir, que representa Abel nas partidas.

Bastidores de incerteza

Segundo apurou o UOL Esporte, a direção do Inter não pretende mudar o comando técnico imediatamente. Uma troca estaria vinculada à eliminação diante do Boca Juniors e distanciamento de vez do topo do Brasileiro.

Tal situação fica postergada para a próxima semana, quando o jogo de volta com os argentinos ocorrerá logo após o duelo com o Atlético-MG, que pode colocar o líder do certame nacional oito pontos à frente do Colorado. Na data em que decidirá sua situação com o Boca, o Inter fechará um mês da confirmação da saída de Coudet.

Internacional