PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Mattos: "Nenhum time resiste a tantos erros capitais como os do Flamengo"

Do UOL, em São Paulo

02/12/2020 12h00

Classificação e Jogos

Duas semanas depois de ser eliminado da Copa do Brasil, o Flamengo voltou a se despedir de uma competição, desta vez a Libertadores, principal objetivo do clube na temporada, com o empate com o Racing e a derrota nos pênaltis no Maracanã, em um jogo no qual o clube criou oportunidades, não aproveitou e cometeu erros cruciais.

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL — com Luiza Oliveira, Mauro Beting, Renato Maurício Prado e Ricardo Rocha —, o jornalista Rodrigo Mattos afirma que o Flamengo teve o domínio técnico do jogo com o time argentino, mas voltou a cometer muitos erros que em momentos decisivos, assim como o técnico Rogério Ceni teve erros estratégicos durante a partida.

"A verdade é que o time estava dominando o jogo, mas comete muitos erros capitais em momentos capitais e isso é a tônica da temporada. Já vinha perdendo vários pênaltis, perdeu uns três pênaltis seguidos em tempo normal, perdendo muito gol, saindo errado a bola. Ele deu uma melhorada na zaga, com a entrada do Rodrigo Caio, então nisso estava errando menos, mas na frente o Vitinho perdeu dois gols no primeiro tempo, aí no segundo tempo o time ainda dominava e também não conseguia fazer gol", diz Mattos.

"O Gustavo Henrique, não é o primeiro zagueiro que comete esse erro de posicionamento, o Thuler no gol do São Paulo fez a mesma coisa, ele estava virado todo torto para tentar marcar, então não é um problema só de um zagueiro, o Rodrigo Caio quando estava em campo, a zaga estava funcionando, então são muitos erros capitais, nenhum time resiste a tanto erro capital", completa.

O colunista do UOL afirma que Rogério Ceni não foi bem nas substituições, principalmente quando optou por tirar os meias Arrascaeta e Everton Ribeiro, deixando o time desorganizado na armação de jogadas.

"Erro bem feio do Rogério, tirou os dois articuladores do time, não era para ter tirado o Arrascaeta, era o jogador que vinha armando o time, as principais jogadas saiam dele, o Everton vinha pior, não vinha acelerando o jogo como ele, mas aí você tira os dois, isso sempre aconteceu no Flamengo, tirou os dois e o time se desarticula", explica.

Mattos também afirma que a segunda eliminação seguida em um curto período deve ter consequências fortes dentro do clube, embora acredite que no caso do técnico Rogério Ceni, não deva haver mudança, mas aponta sinais de revolução na Gávea.

"É um investimento muito alto, um time que se propôs a muita coisa e quando você vai muito para o alto, a queda é lá de cima. A gente sabe que vai ter consequências isso aí. Embora o Rogério não tenha planejado essa temporada, eu acho que nos jogos decisivos ele tem cometido erros e isso a gente não pode ignorar, ele tem cometido erros pontuais de substituição, acho até que a armação do time funcionou, achei boa, mas ele comete erros às vezes de estratégia, fez com o São Paulo também", diz Mattos.

"Não acho que vai pagar por isso, vai até o fim da temporada provavelmente, mas é certo que vai ter uma revolução na Gávea. Ser eliminado de duas competições depois de todo o investimento que foi feito, o clima era bem nervoso quando acabou", conclui.

O Fim de Papo volta a ser apresentado na noite desta quarta-feira, logo após a rodada que tem o jogo entre Fortaleza e Corinthians, pelo Campeonato Brasileiro, além do Palmeiras contra o Delfín e o Internacional contra o Boca Juniors, pela Libertadores. O programa será apresentado por Isabella Ayami, com os comentários de Marília Ruiz, José Trajano e Danilo Lavieri.

Futebol