PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Marca da camisa mais famosa de Maradona é ligada a Galo, SPFC, Inter e Flu

Maradona e Passarella posam para foto durante a Copa do México, em 1986 - Reprodução El Gráfico
Maradona e Passarella posam para foto durante a Copa do México, em 1986 Imagem: Reprodução El Gráfico

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

02/12/2020 04h00

As atuações de Diego Maradona na Copa de 1986 transformaram a camisa argentina usada naquele Mundial em peças icônicas. O uniforme dos campeões mundiais no México, há 34 anos, tem ligação com times do futebol brasileiro, cujas camisas foram produzidas pela mesma empresa de material esportivo, pouco antes da consagração do craque argentino.

Com o título da Argentina no Mundial do México, Le Coq Sportif, fundada na França em 1882, reforçou a fama de pé-quente, pois já havia fornecido as camisas da Itália na Copa da Espanha-1982, em outra conquista histórica.

No Brasil, também no começo dos anos 1980, os franceses produziram as camisas de São Paulo, Inter e Fluminense. De volta ao futebol brasileiro, eles são responsáveis pela atual camisa do Atlético-MG, após acordo firmado no começo do ano passado.

Embora esteja ligada aos títulos mundiais de Itália e Argentina na década de 1980, a Le Coq Sportif só teve exposição de fato em 1986, quando a logomarca passou a estampar uniformes em Copas.

Com o símbolo da empresa exposto, Maradona, morto na semana passada, fez cinco gols na campanha da Argentina, dois deles contra a Inglaterra: com a mão esquerda e aquele que é considerado o mais bonito de todas as Copas ao driblar vários adversários antes de marcar.

Fluminense - Acervo Flu Memória - Acervo Flu Memória
Fluminense conquistou o Brasileirão 1984 com camisas fornecidas pela francesa Le Coq Sportif
Imagem: Acervo Flu Memória

O uniforme azul usado naquele dia por Maradona está exposto em um museu de Manchester, depois que o volante Peter Reid trocou camisas com o craque argentino ao fim do jogo.

A Le Coq Sportif não seguiu como parceira da Argentina no Mundial de 1990, na Itália. Àquela altura, a Adidas já fornecia o material esportivo para a seleção de Maradona, que chegou à final, mas acabou sendo derrotada pelos alemães.

Retorno ao Brasil é recente

Parceira do Inter em 1982 e do Fluminense entre 1983 e 1985, a Le Coq Sportif viu os gaúchos conquistarem dois títulos: o Estadual e o Troféu Joan Gamper, em Barcelona. O Tricolor carioca foi além: sagrou-se tricampeão estadual, além de levantar a taça do Brasileirão, em 1984. No São Paulo de 1981 a 1984, a empresa viu o parceiro garantir o Paulistão de 1981.

Depois de um longo hiato sem acordos no Brasil, a empresa francesa acertou com o Atlético-MG e manteve a fama de pé-quente, já que o time mineiro conquistou o Estadual deste ano e segue entre os primeiros colocados do Brasileirão. Os parceiros, inclusive, são ligados pelo galo, mascote de ambos. Le Coq Sportif, em tradução livre, quer dizer "O Galo Atlético".

A primeira aparição de sucesso da marca francesa que eternizou a camisa usada por Maradona em 1986 foi no começo dos anos 1950. E em casa. A empresa passou a fornecer a camisa amarela do Tour de France, famosa prova do ciclismo. Mais de duas décadas depois, a Le Coq Sportif viu o tenista Arthur Ashe ser campeão em Wimbledon, em 1975.

Hoje, os franceses fornecem material para duas seleções de futebol: Camarões e África do Sul. A empresa ainda tem ligação com o Tour de France e a equipe Renault, na Fórmula 1.

Atlético-MG - Alessandra Torres/AGIF - Alessandra Torres/AGIF
Atlético-MG tem acordo com a Le Coq Sportif desde fevereiro do ano passado
Imagem: Alessandra Torres/AGIF

Futebol