PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

São Paulo faz acordo, e CBF vai arcar com gastos da viagem para jogo adiado

Jogadores do São Paulo se incomodaram com o adiamento da partida contra o Goiás, pela primeira rodada do Brasileirão - Heber Gomes/AGIF
Jogadores do São Paulo se incomodaram com o adiamento da partida contra o Goiás, pela primeira rodada do Brasileirão Imagem: Heber Gomes/AGIF

Thiago Fernandes

Do UOL, em São Paulo

01/12/2020 04h00

Classificação e Jogos

O São Paulo será reembolsado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) pelos custos com a viagem que fez para enfrentar o Goiás, em jogo que deveria ter acontecido em 9 de agosto, pela primeira rodada do Brasileirão. Na ocasião, a partida foi adiada por causa do surto de Covid-19 no elenco esmeraldino — havia dez atletas que testaram positivo no grupo, sendo que oito eram titulares.

Os paulistas fretaram voo para Goiânia e tiveram que se hospedar em um hotel da cidade, seguindo o protocolo normal de uma partida como visitante. Como o duelo foi adiado, os gastos da equipe serão arcados pela entidade que organiza a competição nacional. Já há um acordo entre as partes.

Naquele momento, o futebol brasileiro estava tentando voltar à normalidade em meio à pandemia do novo coronavírus. A CBF e os clubes definiram um protocolo para os jogos do torneio nacional. No entanto, diante do excesso de exames positivos no elenco e com o risco de proliferação do novo coronavírus, o Goiás acionou o STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), que preferiu adiar o confronto.

Pouco tempo depois do horário combinado para o pontapé inicial — que seria às 16h (de Brasília) —, o tribunal optou pelo adiamento do jogo. Naquele momento, os jogadores do São Paulo já estavam em campo para a partida que aconteceria no Estádio Hailé Pinheiro, popularmente conhecido como Estádio da Serrinha. Diante disso, o Tricolor paulista pleiteou o ressarcimento do que foi gasto na viagem a Goiás.

Já há o aval da CBF para que o clube seja reembolsado por causa da ida para o jogo que não aconteceu. O montante, no entanto, ainda não foi pago aos paulistas. A situação é resolvida com o departamento financeiro são-paulino.

O Tricolor paulista pagou R$ 105 mil para fretar o voo entre São Paulo e Goiânia para o compromisso que ocorreria em 9 de agosto deste ano. O clube ainda arcou com gastos de alimentação e hospedagem dos atletas e demais membros do departamento de futebol.

Os gastos do São Paulo não foram o único problema na viagem a Goiânia. Os jogadores se irritaram com a situação. O incômodo foi por eles terem se preparado para o confronto, cumprido as normas de segurança, se arriscado durante a pandemia e até realizado a preleção. Ao subirem ao gramado, receberam a notícia de que o duelo tinha sido adiado. Além da falta de organização, alguns se queixaram com uma possível falta de cuidado dos colegas de profissão.

Após o cancelamento da partida, o São Paulo retornou para o hotel em que estava hospedado. A delegação fez a sua refeição e voltou para a capital paulista ainda à noite.

Depois de quase quatro meses, o jogo finalmente será disputado. Goiás e São Paulo entram em campo nesta quinta-feira (3), às 19h (de Brasília), pela primeira rodada do Brasileirão.

São Paulo