PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Arão marca no fim, perde pênalti e Flamengo é eliminado na Libertadores

Pedro consola Arão após volante do Fla perder pênalti contra o Racing - EFE/Antonio Lacerda POOL
Pedro consola Arão após volante do Fla perder pênalti contra o Racing Imagem: EFE/Antonio Lacerda POOL

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

01/12/2020 23h37

Após dois empates por 1 a 1, Flamengo e Racing decidiram nos pênaltis a vaga às quartas de final da Libertadores. Com defesa de Arias na cobrança de Arão, os argentinos deixaram o Maracanã festejando a vaga.

Aos 19 da etapa final, Sigali abriu o placar que dava a vitória aos argentinos no tempo normal. Nos acréscimos, Arão, que desperdiçaria sua batida minutos depois, subiu mais alto e deixou tudo igual, levando a disputa para as penalidades. O Fla jogou mais de 30 minutos com 10, já que Rodrigo Caio foi expulso e dificultou a missão rubro-negra.

Eliminado da Copa do Brasil e fora da competição continental, os rubro-negros só têm o Brasileiro como tábua de salvação até o fim da temporada. O novo tropeço irá aumentar a temperatura na Gávea e a pressão por resultados irá crescer. Com o departamento de futebol em xeque, os próximos dias serão de turbulência e discussões sobre o futuro. Agora, a equipe junta os cacos para enfrentar no sábado (5) o Botafogo, às 17h, no Nilton Santos.

Flamengo não aproveita chances

O Flamengo controlou totalmente as ações da partida, mas fez o seu torcedor manter a respiração presa até o fim. A equipe sufocou o adversário desde o seu campo de ataque, mas faltou agredir mais o gol argentino. Apesar das boas tramas criadas, o time não foi efetivo na hora de matar o jogo. Pesou contra os donos da casa a atuação do goleiro Arias, que fez intervenções decisivas. Nos acréscimos e na base do abafa, Arão marcou e renovou as esperanças.

Racing se fecha e quase mata o jogo

O Racing veio ao Maracanã com uma proposta um pouco mais cautelosa e apostou nos espaços deixados pelo Flamengo para contra-atacar, especialmente no primeiro tempo. Os argentinos chamaram o rival para o seu campo de olho em uma retomada rápida e uma bola esticada nas costas da zaga. Na etapa final, os visitantes mantiveram uma postura conservadora, mas se aproveitaram de uma bola parada para marcar.

Vitinho cria e desperdiça

Sem Gabigol e com Pedro voltando de lesão, Vitinho foi o escolhido por Ceni para iniciar o jogo. O camisa 11 auxiliou na recomposição, roubou bolas, criou chances, mas desperdiçou todas elas. O jogador colecionou bonitos dribles e chapéus, porém falhou ao receber passe açucarado de Arrascaeta. Cara a cara com Arias, ele chutou para fora. Ele ainda esteve perto de marcar, mas o goleiro fez defesa difícil após desvio.

Rodrigo Caio: do céu ao inferno
Rodrigo Caio - EFE/Bruna Prado POOL - EFE/Bruna Prado POOL
Imagem: EFE/Bruna Prado POOL

De volta após ficar longe do time do Flamengo desde o dia 22 de setembro, quando o Fla bateu o Barcelona (EQU) por 2 a 1, Rodrigo Caio retornou ao time e deu mais solidez ao sistema defensivo. Com uma saída de bola de mais qualidade, o zagueiro foi bem também no combate direto. A atuação do camisa 3, no entanto, foi comprometida com sua expulsão aos 17 minutos da etapa final. No lance seguinte, Sigali fez o gol. Para tentar superar a ausência, Rogério Ceni colocou o jovem João Gomes na vaga de Arrascaeta, enquanto Arão fez as vezes de zagueiro.

Cronologia

Aos 17 minutos do segundo tempo, Rodrigo Caio levou o segundo amarelo e foi expulso. Dois minutos depois, Sigali marcou. Aos 47 da etapa final, Arão empatou.

Pressão do lado de fora

A cada marcação desfavorável em um lance mais perigoso, os dirigentes do Racing que estavam no Maracanã berraram e pressionaram muito o árbitro chileno Roberto Tobar. Os rubro-negros presentes responderam com xingamentos e palavrões.

Chuva forte

Assim como ocorreu em Buenos Aires, a chuva também era forte no Rio de Janeiro antes do jogo. Apesar da água, a bola rolou bem no Maracanã, já que a tempestade deu uma trégua com a partida em andamento.

Artilheiro na torcida

O artilheiro Gabigol não se recuperou a tempo do jogão, mas deixou sua mensagem para os companheiros por meio de suas redes sociais. O camisa 9 teve um dia de torcedor e sofreu na frente da televisão.

Tite presente

Acompanhado por César Sampaio e Juninho Paulista, Tite, técnico da seleção brasileira, acompanhou o jogo no Maracanã. Este ano, o treinador já convocou os rubro-negros Rodrigo Caio, Everton Ribeiro, Bruno Henrique e Pedro.

Homenagens a Maradona

No meio de faixas rubro-negras, duas nos tons da bandeira da Argentina e do Boca Junior se destacavam no Maracanã. Em homenagem a Diego Maradona, a torcida do Fla pendurou faixas com os dizeres "Gracias, Diego" e "Maradona hoy y sempre".

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 1 (3) X 1 (5) RACING

Competição: Copa Libertadores - Oitavas de final
Data e hora: 1/12/2020 (terça-feira), às 21h30 (de Brasília)
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro
Árbitro: Roberto Tobar (CHI)
Assistentes: Christian Schiemann (CHI) e Claudio Urrutia (CHI)
VAR: Julio Bascuñán (CHI)
Gols: Sigali, aos 19 minutos do segundo tempo; Willian Arão, aos 47 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Rodrigo Caio e Filipe Luís (FLA); Sebastián Beccacece, Mena, Fabricio Domínguez (RAC)
Cartões vermelhos: Rodrigo Caio (FLA)

FLAMENGO: Diego Alves; Isla, Rodrigo Caio, Gustavo Henrique (Diego) e Filipe Luís; Willian Arão, Gerson, Everton Ribeiro (Pedro) e Arrascaeta (João Gomes); Bruno Henrique e Vitinho.Técnico: Rogério Ceni

RACING: Arias; Fabricio Domínguez, Sigali, Nery Domínguez, Soto e Mena, Matías Rojas, Miranda e Fértoli (Montoya); Reniero (Alcaraz) e Licha López. Técnico: Sebastián Beccacece

Flamengo