PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Após primeiro tropeço, Felipão reconhece fragilidade do Cruzeiro em casa

Felipão reconhece dificuldades do Cruzeiro e diz que time não melhorará do dia para a noite - Bruno Haddad/Cruzeiro
Felipão reconhece dificuldades do Cruzeiro e diz que time não melhorará do dia para a noite Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

28/11/2020 04h00

Classificação e Jogos

A campanha do Cruzeiro na Série B do Campeonato Brasileiro mostra um desequilíbrio quando se compara o desempenho do time dentro e fora de casa. Jogando longe de Belo Horizonte, a Raposa faz campanha de G4, mas dentro do Mineirão a performance é bastante questionável.

No Gigante da Pampulha a equipe azul já fez 13 jogos, perdeu cinco, empatou quatro e venceu outros quatro, somando pouco mais de 41% de aproveitamento. Diferentemente do que faz além das montanhas de Minas Gerais, onde tem a quarta melhor campanha (11 jogos, cinco vitórias, três empates e três derrotas).

Até o técnico Luiz Felipe Scolari, após a derrota para o Confiança, ontem (27), a primeira desde que retornou ao clube, reconheceu que seu time tem dificuldade de atuar dentro de seus domínios.

"Difícil explicar. A gente quer ou tenta fazer com que as coisas fiquem um pouco melhores para o nosso grupo quando a gente sai e faz uma partida muito correta, como foi com a Chapecoense. Aqui nos últimos três jogos saímos aos 3 minutos, aos 4 minutos, aos 10 minutos tomando gol, coisa que faz com que a nossa equipe fique totalmente desorganizada. Sabemos que temos algumas dificuldades, sim, principalmente no aspecto psicológico, aspecto de jogarmos aqui e propormos o jogo. Mas esses gols aos 3, 4 minutos fazem com que nossa equipe se desarvore", disse o técnico.

Existia a expectativa de o time alcançar um bom resultado diante do Confiança para dar moral antes do clássico com o América-MG, na próxima quarta-feira (2), no estádio Independência, pela 25ª rodada. A partida marcará o encontro da Raposa com um dos primeiros colocados da Série B, o Coelho, que atualmente ocupa a segunda colocação.

"Nós perdemos do início do campeonato até agora uns 20, 22 pontos, 23 pontos em casa. A gente trabalha, mas não é de um dia para o outro, muitas vezes o sistema que o jogador enfrenta no campo, porque acredita que por ser o Mineirão terá possibilidades, não é assim. Não existe público, não adianta nada. Vamos trabalhando, na medida do possível, para melhorar esse aspecto. Não vai ser de um dia para o outro e nem, acredito eu, no final dessa temporada. Vamos penar um pouco para montar uma situação para que a gente possa jogar aqui e realmente fazer uso da nossa casa", comentou.

Com a derrota para o Confiança o Cruzeiro estaciona nos 28 pontos, na 15ª colocação.

"Vamos trabalhar em cima do projeto que temos, em cima da situação atual, para melhorar em algumas situações. Principalmente quando jogamos aqui (no Mineirão), porque fora temos um posicionamento melhor. É esperar que as coisas corram bem até o final para que atinjamos o objetivo", concluiu o treinador.

Cruzeiro