PUBLICIDADE
Topo

Botafogo

Botafogo entra com notícia-crime no MP por mortos inscritos na Chapa Verde

Botafogo realiza eleições nesta terça-feira (24) com disputas judiciais entre as chapas - Alexandre Araújo/UOL Esporte
Botafogo realiza eleições nesta terça-feira (24) com disputas judiciais entre as chapas Imagem: Alexandre Araújo/UOL Esporte

Alexandre Araújo

Do UOL, no Rio de Janeiro

24/11/2020 16h58

Classificação e Jogos

O Botafogo entrou com uma notícia-crime no Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) apontando irregularidades na inscrição da Chapa Verde, encabeçada por Walmer Machado, como o fato de a lista conter nomes de pessoas já falecidas.

A eleição presidencial acontece hoje, em General Severiano. Além de Walmer, concorrem ao cargo máximo do Glorioso Alessandro Leite, da chapa Ouro, e Durcesio Mello, da chapa Preta e Branca. No documento levado ao MP, o Alvinegro indica que, dos 140 nomes que foram apresentados à Junta Eleitoral, há assinaturas de seis pessoas mortas. A informação foi publicada, inicialmente, pelo "ge" e confirmada pelo UOL Esporte.

"Dentre os 140 candidatos, subscritores presumíveis da documentação de adesão exigida pelo Estatuto do Botafogo de Futebol e Regatas, constavam seis nomes de pessoas já falecidas (...). Na documentação de registro apresentada em 24 de setembro de 2020, a Chapa Verde teria incluído, entre os candidatos a postos efetivos ou suplentes do Corpo Transitório do Conselho Deliberativo os nomes de Celso Alexandre Kalache (efetivo) e Celso Miranda Reis (suplente), sendo que estes não são sócios do Botafogo de Futebol e Regatas", diz o documento.

Procurado pela reportagem, Walmer Machado afirmou que aguarda apenas ser notificado para que possa apresentar uma ação contra denúncia caluniosa

"Essa informação surpreende, causa perplexidade, porque o clube estava fechado e quem tem o controle administrativo é o clube. Se tem uma prova material, tem de ter autoria. Eles que comprovem a autoria. É certo que vamos entrar com uma denunciação caluniosa contra os subscritores, aqueles que entendemos que estão por trás dessa manobra. Eles estão vendo que são inexpressivo politicamente falando, esse grupo "Mais Botafogo", que não vão ter voto, vão perder as cadeiras no Conselho, e ficam inventando moda. Então, vão ter a resposta que merecem. Vamos só esperar ser notificados e vamos e também vamos promover as ferramentas jurídicas que achamos cabíveis", disse.

Durante o processo eleitoral, as chapas de Alessandro Leite e Durcesio Mello já haviam pedido impugnação de Walmer indicando irregularidades nos nomes presentes na chapa.

Walmer, por sua vez, pediu a impugnação de Alessandro e Durcésio. No pedido referente à chapa de Durcesio, o documento apresentado constava a alegação de que candidato não atendeu às condições estabelecidas pelo estatuto e também um "conflito de interesse" pelo fato do filho do candidato ser um dos gestores do Resende. Já no caso de Alessandro Leite, havia a indicação de irregularidade na lista de inscritos.

Botafogo