PUBLICIDADE
Topo

Futebol

The Crown: série ignora tragédia do futebol que marcou governo Thatcher

Gillian Anderson como Margaret Thatcher na quarta temporada de "The Crown" - Des Willie/Netflix
Gillian Anderson como Margaret Thatcher na quarta temporada de "The Crown" Imagem: Des Willie/Netflix

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

22/11/2020 04h00

A quarta temporada de "The Crown", série da Netflix que conta a história moderna da família real britânica com base em fatos reais — mas com diálogos e cenas ficcionalizadas —, tem como um de seus focos principais a ascensão e a queda de Margaret Thatcher, a primeira-ministra mais longeva do Reino Unido no século 20. Mas o que o drama deixa de fora é o impacto de uma das maiores tragédias da história do futebol nos anos finais do governo da "Dama de Ferro".

O desastre de Hillsborough, que matou 96 pessoas esmagadas e deixou mais de 700 feridos em 1989, foi o fato que mais marcou o legado de Thatcher no âmbito do esporte. O episódio, que aconteceu por superlotação em um setor do estádio de mesmo nome em um jogo entre Liverpool e Nottingham Forest pela semifinal da Copa da Inglaterra, contribuiu para desgastar a imagem da primeira-ministra em um momento em que seu poder político já diminuía.

As conclusões imediatas das autoridades britânicas após a tragédia foram de que as mortes haviam sido acidentais e causadas principalmente por comportamentos dos próprios torcedores, com acusações de desordem e hooliganismo. Após décadas de luta dos familiares das vítimas, só em 2012 um novo relatório do governo apontou o despreparo da polícia como culpado do desastre.

Hillsborough - David Cannon/Allsport - David Cannon/Allsport
Homem é atendido no gramado durante a tragédia de Hillsborough
Imagem: David Cannon/Allsport

O novo relatório revelou ainda que vários depoimentos de testemunhas haviam sido adulterados para retirar a responsabilidade dos policiais que orientavam o público naquele dia e que poderiam ter impedido a superlotação. Segundo esses documentos, o governo Thatcher foi informado pela polícia de que "torcedores bêbados" haviam sido os principais responsáveis pelo incidente.

O posicionamento de Thatcher em relação a torcedores de futebol durante seu governo, que durou de 1979 a 1990, era tido como "linha-dura" entre seus apoiadores e visto como uma perseguição entre seus críticos. O país vivia um problema grave de hooliganismo — na ocasião do desastre de Hillsborough, os clubes ingleses estavam banidos de competições europeias por causa de outra tragédia, no estádio de Heysel, na Bélgica, pela final da Copa Europeia de 1985, quando torcedores do Liverpool invadiram um setor reservado a fãs da Juventus. A confusão causou a morte de 39 pessoas e 600 feridos.

Especialmente em Liverpool, a popularidade de Thatcher, que já não era grande entre a classe trabalhadora, despencou. A primeira-ministra, do Partido Conservador, que já havia enfrentado grandes greves de mineiros nos anos 80, via seu poder diminuir no final da década. Ela acabou renunciando em 1990, como mostra a série, após perder o apoio de um de seus principais aliados, Geoffrey Howe, e ver a oposição crescendo dentro de seu próprio partido, principalmente por divergências na política externa e na economia.

Esta não foi a primeira vez que a série ignorou um acontecimento do esporte com relevância na história política do Reino Unido. Na terceira temporada, a vitória da Inglaterra na Copa do Mundo de 1966, a única organizada e conquistada pelo país, também não foi retratada em nenhum momento.

Futebol