PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Sem Fred, Odair analisa opções para Flu voltar a ser eficiente na frente

Odair Hellmann tem problemas para armar Fluminense na ausência de Fred no Brasileirão -  MAURICIO ALMEIDA/AM PRESS & IMAGES/ESTADÃO CONTEÚDO
Odair Hellmann tem problemas para armar Fluminense na ausência de Fred no Brasileirão Imagem: MAURICIO ALMEIDA/AM PRESS & IMAGES/ESTADÃO CONTEÚDO

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

19/11/2020 04h00

Classificação e Jogos

O Fluminense ainda tenta, mas sabe que dificilmente terá Fred contra o Internacional, domingo (22), às 18h15, no Beira-Rio. O camisa 9 sofreu entorse no tornozelo e faz tratamento intensivo, mas deve ficar fora da viagem para Porto Alegre. Sem ele, o técnico Odair Hellmann analisa as opções que tem para fazer o Tricolor voltar a ser eficiente na frente.

Nos últimos dois jogos, o Flu, que tem o quinto melhor ataque do Brasileirão, nem sequer balançou as redes. Mesmo antes, sem Nenê — que retornou ao time na derrota para o Palmeiras —, teve dificuldade para criar chances claras de gol e finalizações dentro da área adversária. Agora, Odair terá o camisa 77, mas sem um centroavante para abrir espaços e reter a bola, o Tricolor já mostrou dificuldades em 2020.

"A gente tem que finalizar bem as jogadas. Contra o Palmeiras, acho que criamos alguns lances de definição. É melhorar esse último passe e a finalização. Fazer o gol realmente. Se não fizer o gol, não tem como ganhar o jogo. Focar nesse quesito. Claro que a gente sempre pode melhorar e criar mais também, mas acho que o principal são os últimos metros do campo e a finalização. Focar para acertar no gol e tentar finalizar bem", opinou Nenê.

Reserva do centroavante, Felippe Cardoso tem apenas dois gols na temporada. O camisa 19 tem sido a opção mais frequente do treinador, tentando dar confiança ao jogador da posição. Mas é um fato que o atacante de 22 anos, apesar do esforço, não vem conseguindo comandar o ataque do Flu na ausência do titular.

Por isso, Odair observará outros jogadores nos treinamentos. Contratado como reposição para Evanílson, apesar de ter atuado na maior parte da carreira como ponta, Lucca segue tendo poucas chances desde que chegou ao Tricolor. O camisa 7 nem sequer completou 45 minutos nos três jogos onde teve chance, e corre por fora para ser o titular contra o Inter.

Outra opção é dar nova chance a Marcos Paulo como centroavante, alternativa que já foi testada algumas vezes. O jovem de 19 anos é de origem da posição, atuou no setor em todas as categorias das divisões de base do clube e joga como "9" na seleção sub-19 de Portugal. Com Odair, entretanto, costuma ser usado como um atacante que sai das beiradas para centralizar o jogo ao lado do centroavante.

Em outras ocasiões, o técnico do Fluminense escalou a equipe sem um jogador de referência, usando Nenê, Marcos Paulo, Luiz Henrique ou até Miguel, que não entra em campo desde setembro, como falso 9. A alternativa também não se mostrou muito eficiente, mas pode ser usada já que Hellmann deve ter Yago à disposição e pode modificar o esquema, adiantando Nenê para atuar com outro parceiro de ataque.

"A gente tem uma ideia central dentro da nossa organização e liberdade de movimentação. Isso criou frutos de infiltração, chances... O que pensamos em relação a essa movimentação está acontecendo, eles têm liberdade para fazer a troca de função. É transformar tudo isso em efetividade de gol", opinou o técnico.

Com 32 pontos, o Fluminense é o oitavo colocado do Campeonato Brasileiro. O time está quatro pontos atrás do G-4 e ainda não venceu em novembro, após um outubro quase perfeito. Adversário da 22ª rodada, o Internacional — agora comandado por Abel Braga após a saída de Eduardo Coudet para o futebol espanhol — é o vice-líder com 36 pontos, mas não vence há quatro jogos no Brasileirão.

Fluminense