PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Nenê não vê vantagem por desfalques no Inter: 'Muito fortes no Beira-Rio'

Nenê não vê vantagem do Fluminense em enfrentar Internacional desfalcado no Brasileirão - Lucas Merçon/Fluminense FC
Nenê não vê vantagem do Fluminense em enfrentar Internacional desfalcado no Brasileirão Imagem: Lucas Merçon/Fluminense FC

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

18/11/2020 14h25

Classificação e Jogos

O Fluminense enfrenta o Internacional, no domingo (22), às 18h15, no Beira-Rio, e encontrará um rival bem diferente da equipe que chegou a liderar o Campeonato Brasileiro nas últimas rodadas. Agora com Abel Braga no comando após a saída de Eduardo Coudet, o Colorado também terá ao menos seis desfalques.

Nenê, entretanto, não vê essa vantagem toda em enfrentar o adversário nessas condições, lembrando da força que o time gaúcho costuma ter atuando em seus domínios, no Beira-Rio, onde o Flu não vence desde 2012.

"O fato de o Internacional estar em duas outras competições (Copa do Brasil e Libertadores) pode ser interessante para nós, já que eles têm desgaste maior e foco também em outras competições. Nosso jogo vai ser muito difícil do mesmo jeito. Eles são muito fortes no Beira Rio. Pode ser que a situação nos dê uma vantagem física e mental, mas na hora do "vamos ver" ninguém vai lembrar disso", declarou o meia, em coletiva nesta quarta (18) no CT Carlos Castilho.

Artilheiro do time na temporada com 19 gols, o jogador de 39 anos está mais preocupado com a própria equipe. O camisa 77 acredita que o maior problema do Tricolor nas duas últimas derrotas — contra Palmeiras e Grêmio — é a falta de eficiência no ataque.

"Tem que finalizar bem as jogadas. Criamos alguns lances contra o Palmeiras, a gente tem que melhorar o último passe e finalizar de maneira eficiente, fazer o gol. Sem fazer gol, não dá para ganhar jogos. A gente sempre pode melhorar, criar mais, mas acho que o principal é melhorar nos últimos metros do campo e finalizar melhor", opinou.

O "mau momento" vivido pelo Flu no Brasileirão — adversário de domingo, o Inter não vence há quatro jogos na competição —, para Nenê, é só casualidade. Experiente, o meia lembrou que, nas duas rodadas do início do campeonato, a equipe de Odair Hellmann também fez apenas um ponto, e depois conseguiu embalar.

"Tem que ver o nosso primeiro turno também. Nos dois primeiros jogos fizemos só um ponto com os jogos totalmente distintos. Faz parte. Futebol é resultado, quando perder sempre tem críticas e desconfiança", disse, para prosseguir:

"Acredito que o Fluminense tem sim capacidade para brigar pela Libertadores, ficar entre os quatro primeiros. Estamos em oitavo, mas a diferença é muito pequena para os primeiros colocados. Está tudo embolado entre o 4º e o 8º, são quatro pontos. Nem o time que lidera ganha todos os jogos, nem a gente conseguirá vencer. Temos que mostrar a cada jogo que quem não acredita está equivocado", finalizou.

Questionado sobre o crescimento dos casos de covid-19 no futebol brasileiro, Nenê rechaçou uma possível paralisação da competição, e preferiu destacar o que os clubes estão fazendo para tornar o ambiente mais seguro.

"Está voltando muito forte. Parecia que já tinha normalizado, inconscientemente a gente acaba relaxando, tem todos os cuidados possíveis, até quem já pegou, porque estão muito altos os índices da doença. Temos que seguir todos os protocolos, principalmente fora do trabalho, porque os clubes estão cumprindo muito bem o papel de tornar o ambiente seguro", destacou.

"Temos que ter cuidado fora do clube para não trazer ela para dentro e piorar a situação. É cedo para dizer. Difícil dar opinião porque ainda tem muitos casos nos clubes, mas não sabemos que está sendo transmitido dentro dos clubes, entre os clubes, fora do ambiente de trabalho, então não sei como opinar. É cedo para dizer se precisa parar ou não o campeonato", finalizou

Confira outras respostas da coletiva de Nenê na FluTV:

Fluminense