PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Brasil fura retranca da Venezuela com gol de Firmino e se mantém 100%

Roberto Firmino fez o gol da vitória da seleção brasileira aos 21 minutos do segundo tempo - Nelson Almeida-Pool/Getty Images
Roberto Firmino fez o gol da vitória da seleção brasileira aos 21 minutos do segundo tempo Imagem: Nelson Almeida-Pool/Getty Images

Gabriel Carneiro e Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

13/11/2020 23h32

Classificação e Jogos

A seleção brasileira venceu a Venezuela por 1 a 0, hoje (13), no estádio do Morumbi, e manteve 100% de aproveitamento em três rodadas das Eliminatórias da Copa do Mundo. O gol que furou a retranca da seleção "vinotinto" foi marcado por Roberto Firmino aos 21 minutos do segundo tempo, com assistência de Renan Lodi.

Com sete trocas na lista de convocados e três titulares ausentes por causa de problemas físicos e diagnósticos de Covid-19, o time do técnico Tite teve dificuldades para criar oportunidades e alguns momentos de muita lentidão na circulação de bola, mas achou seu gol justamente por uma alteração, com participação de gala de Paquetá, e uma movimentação ofensiva que deixou Everton Ribeiro aberto pela direita para o levantamento na área.

O próximo desafio da seleção brasileira é de peso: terça-feira, às 20h, contra o Uruguai, no estádio Centenário, em Montevidéu. Já a Venezuela recebe o Chile duas horas antes, no mesmo dia.

Firmino desequilibra

Firmino - Nelson Almeida-Pool/Getty Images - Nelson Almeida-Pool/Getty Images
Roberto Firmino comemora gol marcado pelo Brasil sobre a Venezuela em jogo das Eliminatórias
Imagem: Nelson Almeida-Pool/Getty Images

Centroavante nos dois primeiros jogos das Eliminatórias, Roberto Firmino hoje atuou com mais liberdade de movimentação no ataque, e sua influência foi além do gol marcado porque ele não se limitou à área em campo. A ideia era que ele partisse de fora para dentro dela com um jogo de tabelas e associações que estimulasse também a produtividade dos companheiros, e assim foi. O gol, aliás, saiu com ele centralizado no momento em que Gabriel Jesus é que era o centroavante.

Muro grená

Firmino - Andre Penner-Getty - Andre Penner-Getty
Roberto Firmino tenta escapar da marcação durante Brasil x Venezuela
Imagem: Andre Penner-Getty

A Venezuela variou os esquemas 4-5-1 e 5-4-1 para defender, com alguns comportamentos específicos, como Darwin Machís fazendo marcação individual no lateral brasileiro Renan Lodi, bem espetado na área. Cristián Cásseres também procurou fechar a linha de passe de Everton Ribeiro, o que provocou um ajuste no Brasil, quando o meia do Flamengo trocou de posição com Firmino.

Essa movimentação, quando um jogador sai da posição para liberar espaço e confundir a marcação, foi o que deixou o Brasil mais próximo de fazer gol, como num chute de Firmino saindo da esquerda e centralizando aos 28 do primeiro tempo e também uma chance perdida por Richarlison aos 32, numa jogada de Lodi e Jesus. Diante de uma seleção venezuelana bem compacta, que tirava espaço e tempo do Brasil, e diante da ausência do desequilibrante Neymar, era necessário ter mais criatividade.

Dois gols anulados

Thiago Silva - Fernando Bizerra-Pool/Getty Images - Fernando Bizerra-Pool/Getty Images
Árbitro Juan Benítez checa o VAR durante Brasil x Venezuela
Imagem: Fernando Bizerra-Pool/Getty Images

O Brasil teve três gols anulados na última vez que enfrentou a Venezuela, no empate em 0 a 0 da Copa América de 2019. Hoje foram dois só no primeiro tempo. O primeiro foi aos seis minutos, quando Renan Lodi recebeu lançamento de Marquinhos em posição duvidosa e cruzou para um bate-rebate na área que Richarlison completou para o gol. O impedimento do lateral foi marcado. Mais de 30 minutos depois, uma trama de Everton Ribeiro, Gabriel Jesus e Richarlison balançou as redes no chute de Douglas Luiz. Só que Osório sofreu falta na área. Desta vez, nada duvidoso.

Paquetá neles

Paquetá  - Andre Penner-Getty Images - Andre Penner-Getty Images
Lucas Paquetá tenta jogada durante o jogo; ele entrou no intervalo na vaga de Douglas Luiz
Imagem: Andre Penner-Getty Images

O meia do Lyon foi a única mexida de Tite no intervalo. Quem saiu foi Douglas Luiz, que já tinha cartão amarelo e errou alguns lançamentos longos no primeiro tempo. Lucas Paquetá de imediato melhorou a qualidade desses cruzamentos na área, gerou até um possível pênalti que rendeu checagem no VAR. Além dessa mudança de peça, Richarlison abriu na direita e Jesus centralizou para gerar desequilíbrio.

Tite já preparava novas mexidas quando a primeira deu resultado: pouco à frente da área, Paquetá recebeu e passou de primeira para Everton Ribeiro, que se deslocava pela direita e cruzou para Renan Lodi. Na segunda trave, o lateral devolveu para o centro e Firmino escorou no contrapé do goleiro venezuelano para abrir o placar.

Sem deixar cair

Ribeiro - Andre Penner-Pool/Getty Images - Andre Penner-Pool/Getty Images
Everton Ribeiro tenta escapar da marcação durante Brasil x Venezuela
Imagem: Andre Penner-Pool/Getty Images

Tite fez as duas trocas planejadas para antes do gol só aos 30 minutos da etapa complementar, com Éverton Cebolinha e Pedro nas vagas de Gabriel Jesus e Richarlison. A ideia era manter o volume ofensivo, mas a seleção da Venezuela se estressou, começou a travar o jogo e teve até auxiliar técnico expulso por causa de uma substituição não autorizada. Pedro até tentou uma bicicleta e depois ajeitou para uma chegada de Firmino, Otero entrou e chutou uma falta com certo perigo, mas o jogo terminou sem grandes emoções.

FICHA TÉCNICA:

BRASIL 1 x 0 VENEZUELA
Competição: Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo 2022, 3ª rodada
Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data/hora: 13 de novembro de 2020 (sexta-feira), às 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Juan Benítez (Paraguai)
Assistentes: Eduardo Cardozo e Milciades Saldivar (ambos do Paraguai)
VAR: Eber Aquino (Paraguai)
Cartões amarelos: Douglas Luiz (Brasil), Cristián Cásseres, Darwin Machís, Tomás Rincón (Venezuela)

GOL: Roberto Firmino, aos 21/2ºT (1-0).

BRASIL: Ederson; Danilo, Marquinhos, Thiago Silva e Renan Lodi (Alex Telles); Allan e Douglas Luiz (Lucas Paquetá); Gabriel Jesus (Éverton), Everton Ribeiro e Roberto Firmino; Richarlison (Pedro). Técnico: Tite.

VENEZUELA: Wuilker Fariñez; Feltscher (Mago), Yordan Osorio, Wilker Ángel e Roberto Rosales (González); Junior Moreno, Tomás Rincón, Cristián Cásseres, Darwin Machís (Savarino) e Soteldo (Otero); Salomón Rondón. Técnico: José Peseiro.

Futebol