PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Grêmio leva pressão, mas vence Cuiabá fora e abre vantagem no mata-mata

Do UOL, em Porto Alegre

11/11/2020 20h57

O Grêmio venceu o Cuiabá, mas não foi fácil. Hoje, na Arena Pantanal, o time de Renato Gaúcho fez 2 a 1 ainda no primeiro tempo e levou pressão na segunda etapa - com direito a duas grandes defesas de Vanderlei e bola na trave. O resultado fora de casa dá vantagem ao clube de Porto Alegre, que pode até empatar na próxima semana que vai às semifinais da Copa do Brasil.

Diego Souza abriu o placar, Willians Santana empatou e Jean Pyerre, de pênalti, garantiu a vitória pouco antes do intervalo. O vencedor do duelo entre Grêmio e Cuiabá pega o vencedor do confronto Flamengo e São Paulo na semifinal.

A atuação gremista teve altos e baixos. Lento na hora de atacar, o time gaúcho sofreu pelos lados. O Cuiabá, mesmo cheio de problemas para o jogo, conseguiu duelar. Antes do apito final, foi o Grêmio quem teve chances de marcar e ampliar. Mas não conseguiu ser certeiro.

O Grêmio volta a campo diante do Ceará, sábado, em Porto Alegre. O jogo é válido pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Cuiabá joga no mesmo dia, contra o América-MG, pela 22ª rodada da Série B do Brasileirão.

Quem foi bem: Jean Pyerre

Jean Pyerre é marcado por Nenê Bonilha na partida entre Cuiabá x Grêmio - LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA - LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA
Imagem: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

Meia-atacante distribuiu bons passes — com lançamento em profundidade. E ainda marcou o gol da vitória de pênalti. Ao longo do jogo, sentiu o ritmo e foi substituído.

Quem decepcionou: Ferreira

Camisa 47 até começou com intensidade, mas ao longo do jogo ficou apagado. Discreto.

Cuiabá reclama no Twitter

A conta oficial do Cuiabá no Twitter reclamou das decisões da arbitragem. Primeiro, ironizou o árbitro de vídeo na revisão do lance que terminou em pênalti em Pepê. A bola do cruzamento de Cortez foi o motivo — se saiu ou não pela linha de fundo. E depois, lembrou que não foi marcada penalidade em toque de mão de Lucas Silva, do Grêmio.

Grêmio efetivo e depois...

Mais posse, mas só dois chutes em todo primeiro tempo. O Grêmio rodou, conseguiu ter mais profundidade. Só que em diversos momentos foi preciosista e preferiu não arriscar. Ainda assim, sempre teve o controle do duelo até o intervalo — exceto em dois lances às costas de Bruno Cortez. Uma das jogadas terminou em gol.

Pressionado pelo Cuiabá

No segundo tempo o Grêmio criou mais chances, contudo sofreu mais também. Vanderlei salvou duas vezes no mesmo lance e a trave ainda apareceu para evitar o segundo empate. O time da casa, em desvantagem, forçou a pressão nos volantes e laterais do time gaúcho. E depois dos 30 do segundo tempo, as rédeas do confronto voltaram às mãos do time de Renato Portaluppi. Com direito a boas chances em contra-ataque.

Cuiabá não perde rumo

Marcelo Chamusca foi desligado do cargo ao longo do dia, depois de fechar com o Fortaleza. O elenco não pôde contar com sete jogadores — que já haviam jogado a Copa do Brasil por outros clubes. E ainda assim, o Cuiabá competiu. Organizado com linhas mais recuadas, mesmo sendo mandante, o time cresceu ao longo do duelo. Criou problemas pelo lado direito ofensivo durante toda a partida.

FICHA TÉCNICA
CUIABÁ 1 X 2 GRÊMIO

Data e hora: 11/11/2020 (quarta-feira), às 19h (horário de Brasília)
Local: Arena Pantanal, em Cuiabá (MT)
Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araujo (SP)
Auxiliares: Anderson José de Moraes Coelho (SP) e Daniel Luís Marques (SP)
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)
Cartões amarelos: Willians Santana, Franco Muller (CUI); Lucas Silva (GRE)
Gols: Diego Souza, aos 8 minutos do primeiro tempo (GRE); Willians Santana, aos 19 minutos do primeiro tempo (CUI); Jean Pyerre, aos 42 minutos do primeiro tempo (GRE)

CUIABÁ: João Carlos; Hayner (Lucas Ramon), Eduardo Kundé, Anderson Conceição e Romário; Matheus Barbosa (Pierini), Nenê Bonilha (Auremir), Yago César, Elvis (Jardel) e Maxwell; Willians Santana (Perdigão)
Técnico: Franco Muller

GRÊMIO: Vanderlei; Victor Ferraz; Geromel, David Braz e Bruno Cortez; Lucas Silva, Matheus Henrique (Diogo Barbosa), Ferreira (Everton), Jean Pyerre (Thaciano) e Pepê (Paulo Miranda); Diego Souza (Diego Churín)
Técnico: Renato Gaúcho

Futebol