PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Luis Fabiano diz que 'não' do Sevilla fez Milan procurar Ibrahimovic

Atacante Luis Fabiano - Paulo Fernandes/Vasco.com.br
Atacante Luis Fabiano Imagem: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Colaboração para o UOL, em São Paulo

09/11/2020 11h34

O atacante Luis Fabiano, atualmente sem clube, afirmou que Ibra foi a segunda opção do Milan, em 2010. O brasileiro contou que ele mesmo era a prioridade e que chegou a acertar os números do contrato da transferência para o clube italiano. No entanto, o Sevilla, clube do Fabuloso na época, dificultou a negociação.

Mesmo sendo a 'segunda opção', Ibrahimovic foi decisivo para o Milan na temporada 2010-11, ajudando o time a conquistar o título italiano, que não vinha desde a temporada 2003-04, e a Supercopa da Itália.

"Quando eu estava no Sevilla, recebi proposta do Real Madrid, do Barcelona. O presidente do Sevilla fez jogo duro. Ele renovava comigo, dizia que eu poderia sair no próximo ano. Mas o que mais chegou perto foi eu ir para o Milan, já estava com o contrato tudo certo, números fechados. Mas o presidente do Sevilla foi e pediu mais dinheiro. A diretoria do Milan ficou p*** e acabou levando o Ibrahimovic. E eu fiquei p*** também. Na sequência, eu me machuquei e voltei para o São Paulo em 2011", contou Luis Fabiano em entrevista ao Boleiragem, do SporTV, hoje.

Dificuldades de adaptação no Sevilla

Quarto maior artilheiro da história do Sevilla, Luis Fabiano admitiu que teve dificuldades para se adaptar ao time espanhol. O Fabuloso afirmou que a paciência de Monchi, diretor-esportivo que pediu sua contratação, foi essencial para que sua passagem pelo clube espanhol fosse bem sucedida.

"O Monchi estava me monitorando fazia tempo. Ele tem muita moral no Sevilla. A paciência deles foi o que determinou para eu ficar mais tempo lá. No começo eu passei dificuldade. Jogava uma, ficava duas no banco. Comecei a ficar bravo", disse.

"O treinador não era muito fã do meu estilo. Antes da final da Copa Uefa, no meu primeiro ano, eu fui falar com o Monchi para voltar para o Brasil. Ele me disse: 'Daqui você não sai, vai cumprir seu contrato'. Eu tinha cinco anos de contrato. A diferença foi a paciência. Eu fiz o gol na final da Copa da Uefa e comecei a crescer junto com o time. O time era excepcional. Em um elenco de 26, quando tinha data fifa, ficavam quatro jogadores só", continuou.

Drible sobre companheiro na Copa do Mundo

Luis Fabiano também comentou um dos gols mais conhecidos de sua carreira: aquele na Copa do Mundo de 2010, em que 'chapelou' dois marcadores da Costa do Marfim e conduziu a bola com o braço antes de marcar. O atacante contou que um dos zagueiros driblados era seu companheiro de clube.

"Aquele gol foi à la Copa do Mundo, mesmo. Tirei da cartola. Se tivesse VAR, estava lascado. Graças a Deus, não tinha. Um dos zagueiros que eu chapelei era do Sevilla, o Zokora, jogava comigo. Depois da partida ele veio pedir a minha camisa, mas eu não dei. Aquela foi para o quadro", finalizou.

Esporte