PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Nova goleada 'oficializa' problema do Flamengo na defesa e pressiona Dome

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

09/11/2020 04h00

Falhas defensivas, goleadas, e um trabalho ainda mais contestado. Este é o cenário rondando o Ninho do Urubu depois de mais uma goleada sofrida pelo time no Brasileirão, agora para o Atlético-MG. Cercado por desconfiança desde sua contratação, com a dura missão de substituir um ídolo como Jorge Jesus, o técnico Domènec Torrent retorna à berlinda no Flamengo, sob fortes protestos da torcida.

Com o 4 a 0 aplicado pelo Galo, o Rubro-Negro sofreu dez gols nas últimas três partidas pelo campeonato nacional — já havia perdido por 4 a 1 para o São Paulo na rodada anterior e empatado por 2 a 2 om o Internacional. Todos esses times são adversários diretos pela liderança. Essa sacolada de gols já faz da equipe de Dome a segunda pior defesa da competição, com 29 gols sofridos, à frente apenas do lanterna Goiás, que tem 33. Tais números vão na contramão de uma equipe que sonha com o título.

As constantes mudanças nas duplas de zaga, a má fase pela qual passam alguns jogadores, as lesões e o calendário apertado podem ajudar a entender o mau rendimento defensivo. O próprio técnico, porém, rechaça que a culpa seja apenas dos laterais, zagueiros e volantes escalados da vez, afirmando que há um erro de toda a equipe quando não sem a posse da bola. Não há mais como o treinador mudar a dissussão, se não assumindo a responsabilidade sobre a fragilidade da equipe na hora de se defender.Nov

Dome admite que o time tem tido atuações desequilibradas. Ao mesmo tempo que aponta valores ofensivamente, demonstra inúmeros erros na marcação, com uma necessidade de melhora urgente. A turbulência, inclusive, acontece às vésperas de novo encontro com o Tricolor paulista, desta vez pelas quartas de final da Copa do Brasil.

O catalão, que chegou ao clube há pouco mais de três meses com a missão de substituir Jorge Jesus, nunca conseguiu ser unanimidade, mesmo quando o time engatou uma próspera sequência invicta. Desde o começo, quando teve derrotas para o próprio Atlético-MG e Atlético-GO, passando pelo rodízio no elenco, Dome encontrou obstáculos para cair nas graças da torcida. Agora, vê a pressão externa aumentar e em um momento crucial da temporada.

A hashtag "Fora Dome" foi utilizada por muitos rubro-negros que apoiam uma demissão do comandante. Até aqui, porém, tais movimentações não parecem refletir na diretoria. Questionado sobre permanência, Dome indicou confiar no trabalho à frente do Flamengo e ressaltou que "não pode controlar o que acontece fora".

"Acredito no nosso trabalho. Nada vai mudar para mim. Não vou perder nem um segundo de tempo com o que não posso controlar. Não posso controlar o que acontece fora. O que eu posso controlar é melhorar os jogadores. Eu acredito no meu trabalho e da comissão técnica, estamos somente a um ponto do Internacional [líder do Brasileiro], estamos na Libertadores, e estamos nas quartas da Copa [do Brasil]", afirmou.

"Tenho de estar focado no meu trabalho, quando ganhamos também. Se você fala estamos a oito pontos do Inter, perdemos de 4 a 0 na Copa... Aí, talvez, tenhamos um problema grave. Mas estamos a um ponto e acredito no meu trabalho. Isso é um grupo, e um grupo muito forte. Vamos trabalhar muito duro para virar a situação", disse.

Flamengo