PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Cruzeiro dispensa e pune seis garotos por ato de indisciplina "gravíssimo"

Pedro Bicalho chegou a ter chances no time profissional em 2020 - Bruno Haddad/Cruzeiro
Pedro Bicalho chegou a ter chances no time profissional em 2020 Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Do UOL, em Belo Horizonte

07/11/2020 19h14

O Cruzeiro divulgou uma nota oficial para informar que seis atletas do time sub-20 se envolveram em um episódio gravíssimo de indisciplina. A má conduta dos garotos aconteceu após a derrota da equipe para a Chapecoense (na última quarta-feira), pelo Brasileiro da categoria, e gerou desde advertências até afastamentos, devoluções de jogadores emprestados e até suspensão de negociações por um novo contrato. Minutos após a nota oficial da Raposa, Bruno Vicintin, ex-dirigente celeste e atualmente empresário de atletas, divulgou uma nota informando que o episódio envolveu a presença de mulheres no hotel onde o clube estava hospedado.

De acordo com o Cruzeiro, os atletas que cometeram o ato indisciplinar foram: Pedro Botelho, Guilherme Liberato, Alexandre Jesus, Israel, Choco e Gustavo Medina.

Confira, abaixo, a nota celeste, na íntegra:

A nova gestão do Cruzeiro Esporte Clube entende que a recuperação da imagem e credibilidade da instituição passa não apenas pelo profissionalismo e disciplina, mas diretamente pela construção de novos valores. Em alguns casos, os valores, inclusive, necessitam ter o mesmo peso da performance apresentada pelos profissionais que hoje defendem as cores do Clube dentro e fora de campo.

Baseando-se nesses pilares, o Cruzeiro, que tem em sua Missão o objetivo de impactar positivamente a trajetória das pessoas e promover transformação social, informa que seis atletas da categoria Sub-20 se envolveram em um gravíssimo ato de indisciplina na cidade de Chapecó-SC, logo após a derrota sofrida para a Chapecoense, pelo Campeonato Brasileiro, na última quarta-feira, 4 de novembro de 2020.

Os jogadores em questão são: Pedro Bicalho, Guilherme Liberato, Alexandre Jesus, Israel, Choco e Gustavo Medina.

Guilherme Liberato, Alexandre Jesus e Israel já receberam advertências e foram punidos. Por possuírem vínculos mais extensos, os três atletas estão afastados até que a diretoria defina quais as demais providências serão tomadas.

Choco e Gustavo Medina, que possuíam contratos de empréstimos, serão devolvidos ao Alverca e à Ferroviária, seus respectivos clubes.

Pedro Bicalho, ex-capitão da equipe, que tinha a responsabilidade de ser uma referência positiva para os seus companheiros de elenco dentro e fora de campo, passava por um processo de renovação de contrato com o Cruzeiro. No entanto, devido à relevância extremamente negativa do ato ocorrido, e se baseando nas premissas citadas no início do texto, o Clube resolveu dar fim às tratativas de renovação e liberar o atleta para seguir sua carreira.

Resposta de ex-dirigente celeste

Bruno Vicintin, ex-dirigente do Cruzeiro, utilizou as redes sociais para criticar a postura do Cruzeiro no episódio. Para Bruno, que agencia dois atletas do clube, a medida mais coerente seria tratar o assunto de forma interna ao invés de expor o caso. Confira abaixo o que escreveu o empresário:

"Fui informado na sexta-feira (06/11), de um ato de indisciplina de 6 atletas do sub-20 do Cruzeiro Esporte Clube, dois desses jogadores são agenciados pela Dunkirk.

Um Clube gigante como o Cruzeiro tem a obrigação de prezar pela disciplina e por valores, fui dirigente do Cruzeiro e sempre me manti dentro dos mesmos princípios, dos quais jamais podemos abrir mão. Porém acredito que a exposição que isso gera não é positiva para o Clube e para os atletas, que devem sofrer punições sim, mas esse fato deveria ser tratado internamente e sem uma exposição pública.

Respeito a decisão do Cruzeiro e de seus dirigentes, todavia o que vejo na internet, um tribunal de execução, muitas vezes injusto, é uma série de desdobramentos lamentáveis que não retratam o ocorrido, que é grave sim, porém está sendo potencializado e aumentado no que de fato aconteceu e que pode até prejudicar a sequência da carreira destes jovens envolvidos no episódio.

O fato ocorrido de mulheres no hotel em Chapecó está completamente fora de algo minimamente aceitável, porém quando me deparei com situação parecida e até bem piores, quando dirigente, tomei todas as decisões necessárias para o caso, o atleta foi punido, o que evitei foi a exposição do Clube e do jogador, evitando o desgaste que essa situação gera.

Quero agradecer a oportunidade para os dois atletas representados por minha empresa e dizer que na próxima segunda-feira, irei providenciar a revisão do atleta Bicalho e o Choco, como jogador emprestado pelo Alverca de Portugal, será devolvido e assim encerramos o assunto e os garotos seguem sua carreira. Bruno Vicintin", publicou.

Cruzeiro