PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Além do campo: Mancini vive lado psicólogo durante instabilidade corintiana

Técnico do Corinthians vai para o quinto jogo hoje (31), às 19h, contra o Internacional, na Neo Química Arena - Rodrigo Coca
Técnico do Corinthians vai para o quinto jogo hoje (31), às 19h, contra o Internacional, na Neo Química Arena Imagem: Rodrigo Coca

Gabriel Carneiro

Do UOL, em São Paulo

31/10/2020 04h00

Classificação e Jogos

O Corinthians tem uma série de problemas para resolver dentro de campo. Eles vão desde o excesso de erros em passes, chutes e lançamentos, passam pela queda técnica de referências do elenco e chegam até ao ajuste do modelo de jogo sem centroavante. Mas boa parte das dificuldades que o técnico Vagner Mancini enfrenta neste momento de instabilidade está nos bastidores.

"Eu vou em busca das soluções, seja de uma forma agradável ou não", desabafou o treinador em sua última declaração pública antes de enfrentar o Internacional hoje (31), às 19h, na Neo Química Arenam pela 19ª rodada do Brasileirão. Desde então, além de decisões em campo que envolveram até o afastamento do lateral-esquerdo Sidcley, ele revive um lado psicólogo que é sua marca ao longo da carreira.

Gestão de crise é um termo que já faz parte de seu vocabulário. No Santos de 2009, por exemplo, uma troca de agressões físicas entre o goleiro Fábio Costa e o zagueiro Fabiano Eller caiu em seu colo. De acordo com dirigentes da época, a condução do caso foi elogiável.

No Vasco, em 2010, houve a contratação de uma profissional da área para ajudar o técnico a montar perfis psicológicos de jogadores, como o polêmico meia Carlos Alberto. No Cruzeiro de 2011, o trabalho de salvação do rebaixamento também contou com preocupações mentais, como ele disse na época.

Ir para o campo e dar treino é fácil. O mais difícil é administrar 28 cabeças diferentes, ter de atuar como psicólogo, pai, amigo, ditador, às vezes passar a mão na cabeça."

Mancini já disse que o Corinthians representa a "grande chance da carreira" e a recuperação de dois pilares do elenco pode ser fundamental para cumprir o desafio. Cássio e Fagner, que têm desempenho abaixo da média em 2020, são razões de atenção internamente. O goleiro, por exemplo, não é tão questionado desde 2016 — quando chegou a ir para a reserva.

Cássio - Kely Pereira/AGIF - Kely Pereira/AGIF
Imagem: Kely Pereira/AGIF
Fagner - Ettore Chiereguini/AGIF - Ettore Chiereguini/AGIF
Imagem: Ettore Chiereguini/AGIF

Ambos estão no alvo até mesmo da torcida, com memórias recentes de ameaças durante desembarque em aeroporto, protesto no CT e redes sociais. O filho de Fagner de 10 anos chegou a ser atacado no Instagram. Nesse contexto de emoções à flor da pele é que o treinador e sua comissão agem para evitar que a situação saia do controle.

Na derrota em casa para o América-MG, pela ida das oitavas de final da Copa do Brasil, o gol foi consequência de uma saída errada de Cássio que encontrou o atacante do adversário nas costas de Fagner pela direita. Há muito o que ser consertado, em campo e fora.

Ex-colega cita estilo "olho no olho"

André Zaros trabalhou como preparador físico da comissão técnica de Vagner Mancini em Paulista de Jundiaí, Guarani e Vitória, além do Al-Nasr, dos Emirados Árabes. Conhece como poucos o estilo de trabalho do treinador de 54 anos, inclusive no fim da carreira de jogador do hoje comandante do Corinthians no interior de São Paulo. Ao todo foram seis anos trabalhando juntos e uma amizade que permanece.

"Mancini é uma pessoa muito inteligente e estudiosa, atenta a tudo que envolve o futebol e fora dele. Ele gosta de resolver os problemas de frente, olho no olho, falando a verdade. Isso faz muito a diferença nos dias de hoje, porque ele gosta muito do diálogo, gosta de entender para poder resolver da melhor maneira possível", diz Zaros, antes de completar:

Sempre que trabalhei junto, em todos os lugares, o Mancini sempre resolveu as situações com o diálogo, com a conversa franca e olhando nos olhos das pessoas."

André Zaros segue o trabalho como preparador físico, à espera do próximo clube. Já Mancini, no grande desafio da carreira, tenta mostrar que o estilo psicólogo pode dar resultado.

FICHA TÉCNICA:

CORINTHIANS x INTERNACIONAL

Competição: Campeonato Brasileiro 2020, 19ª rodada
Local: Neo Química Arena, em São Paulo (SP)
Data/hora: 31 de outubro de 2020 (sábado), às 19h
Árbitro: Paulo Roberto Alves Junior (PR)
Assistentes: Ivan Carlos Bohn e Sidmar dos Santos Meurer (ambos do PR)
VAR: Wagner Reway (PB)

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Gil, Marllon e Fábio Santos; Xavier, Ramiro, Éderson (Cantillo) e Otero; Cazares e Mateus Vital (Léo Natel). Técnico: Vagner Mancini

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba; Heitor, Zé Gabriel, Cuesta e Uendel; Lindoso, Edenilson, Marcos Guilherme e Patrick; Galhardo e Abel Hernández. Técnico: Eduardo Coudet

Futebol