PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Trajano: O torcedor corintiano tem que estar preparado para sofrer bastante

Do UOL, em São Paulo

29/10/2020 04h00

Classificação e Jogos

O Corinthians perdeu em casa para o América-MG no primeiro jogo do confronto válido pelas oitavas de final da Copa do Brasil, em jogo que colocou frente a frente o 13º colocado da primeira divisão do Campeonato Brasileiro e o vice-líder da Série B, situação que José Trajano chamou a atenção no Fim de Papo, live pós-rodada do UOL que também teve Débora Miranda, Renato Maurício Prado e Vinícius Mesquita analisando os principais jogos da noite de ontem.

Trajano afirma que o Corinthians com o que está jogando poderia ter problemas mesmo se estivesse jogando na segunda divisão, avalia o time como muito ruim, com poucas alternativas e avisa que o torcedor corintiano deve se preparar para passar sufoco até o fim da temporada, em fevereiro.

"Já trocou de técnico, já fez contratações, veio o Otero, veio o Cazares, promoveu alguns jogadores da base, mas não se acerta, é muito ruim, não tem uma alma, é um time que não tem elã, é um time que não tem sequência, frágil no ataque, não chuta uma bola para o gol, no meio de campo não consegue se coordenar, não sabe se ataca ou se defende", diz Trajano.

"É desesperador, o Corinthians no Brasileiro está em 13º lugar, ali namorando a zona do rebaixamento, perdeu em casa, tem o jogo de volta, o América-MG soube administrar o jogo com competência. Eu acho que a situação do Corinthians é muito triste, o torcedor corintiano tem que estar preparado para sofrer bastante e essa sofrência vai se arrastar pelo início do ano que vem, porque tem campeonatos que seguem para o ano de 2021. Não tem como, não tem jogador, o Mancini também não vai resolver coisa nenhuma. É triste, foi um jogo sonolento", completa.

Débora Miranda também analisa como pontos preocupantes do time corintiano a forma como os jogadores se esgotam fisicamente e não conseguem manter o sistema de marcação implantado por Vagner Mancini durante todo o jogo, além de avaliar que as substituições acabam tornando o Corinthians mais confuso dentro de campo.

"O Corinthians tem dois problemas graves. No segundo tempo o time morre, especialmente nessa marcação tão mais cerrada, que o Mancini conseguiu colocar, mas o time não tem fôlego para manter essa marcação nos dois tempos, não aguenta ficar os dois tempos mantendo o esquema de jogo", afirma Débora.

"O Corinthians é um time que quanto mais você muda, mais ele se atrapalha, então cinco alterações para o Corinthians é o caos, porque o time se perde totalmente, quanto mais você troca naquela esperança de melhorar, mais você prejudica, mais o time se bagunça, mais ele fica caótico", conclui.

O Fim de Papo volta a ser apresentado nesta quinta-feira, após a rodada que tem o jogo entre Red Bull Bragantino e Palmeiras, com apresentação de Luiza Oliveira e os comentários de Mauro Beting, Ricardo Rocha e Danilo Lavieri.

Futebol