PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Bastidores do Vasco: Conselho suspende dirigente mesmo após liminar

Mussa, presidente da Assembleia Geral (esq.), e Roberto Monteiro, presidente do Conselho Deliberativo (dir.) - Divulgação
Mussa, presidente da Assembleia Geral (esq.), e Roberto Monteiro, presidente do Conselho Deliberativo (dir.) Imagem: Divulgação

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

27/10/2020 15h44

Mesmo após a liminar de ontem (26) da Justiça que impediu a punição ao presidente da Assembleia Geral, Faues Cherene Jassus, o Conselho Deliberativo do Vasco se reuniu hoje (27) de maneira virtual e, por maioria de votos, decidiu acatar a recomendação da Comissão de Inquérito e suspender o dirigente, que é mais conhecido no ambiente político cruz-maltino como Mussa.

Porém, com o posicionamento judicial da juíza Kátia Cilene da Hora, a decisão dos conselheiros não tem validade até que o mérito seja julgado.

A recomendação de suspensão aconteceu em 8 de outubro por 8 votos a 2, quando a Comissão de Inquérito entendeu que o dirigente feriu o estatuto do clube na condução da Assembleia Geral Extraordinária (AGE), que aprovou a proposta de eleição direta.

Na ocasião, Mussa contratou a empresa "Eleja Online", que realizou o pleito da AGE de maneira virtual e o resultado foi chancelado pela Justiça. Outra reclamação foi quanto ao uso regular do cadastro de sócios para a votação.

A defesa do dirigente defende que apenas uma nova Assembleia Geral poderia destituí-lo ou afastá-lo do cargo. Ele foi eleito pelos sócios em 2017.

Vasco