PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Palmeiras vive incerteza para definir técnico e discute novo favorito

Cícero Souza, Maurício Galiotte, Anderson Barros, Edu Dracena e Paulo Buosi em treino do Palmeiras - Cesar Greco
Cícero Souza, Maurício Galiotte, Anderson Barros, Edu Dracena e Paulo Buosi em treino do Palmeiras Imagem: Cesar Greco

Thiago Ferri

Do UOL, em São Paulo

24/10/2020 04h00

O Palmeiras vive um cenário complicado na busca por um treinador. Sem grandes opções no Brasil e com o recuo inesperado do plano A, Miguel Ángel Ramírez, a diretoria vasculha o mercado da bola internacional, mas encontra dificuldades na procura pelo novo favorito.

Quando demitiu Vanderlei Luxemburgo, semana passada, o clube chegou ao nome do substituto ideal em menos de um dia: Ramírez. As conversas ficaram bem avançadas, mas o treinador do Independiente Del Valle (EQU) recuou quando já falava sobre a moradia em São Paulo e trocava minutas de contrato.

A decisão de não aceitar a proposta imediatamente surpreendeu e irritou a cúpula, que foi ao Equador com a expectativa de finalizar o negócio. Isto fez o clube voltar a mapear opções e, diferentemente da primeira vez, ainda não há um nome de consenso.

Quique Setién (ex-Barcelona), Bruno Lage (ex-Benfica) e Gabriel Heinze (ex-Vélez Sarsfield) são opções que entraram na pauta. Empresários e até conselheiros têm feito contatos frequentes, com ofertas e sugestões de candidatos. Por isso, houve a decisão de blindagem total no comando do futebol: nada pode vazar até que uma negociação avance.

Dos três nomes citados, Setién e Lage têm como complicadores o calendário. O Verdão quer um técnico que assuma a equipe ainda nesta temporada, e tanto o espanhol quanto o português chegariam para disputar o Brasileirão, a Copa do Brasil e a Libertadores. O clube teme que o momento seja complicado para buscar alguém que, embora tenha uma ideia de jogo que agrade, conheça de forma distante o futebol sul-americano. Lage, além de tudo, busca equipes na Europa.

Já Heinze, o nome mais pedido pela torcida nas redes sociais, é um técnico que gosta de estudar de forma meticulosa o projeto. O Verdão sabe que esta não é uma negociação que se resolve em poucos dias, mas gosta do argentino e aguarda um movimento mais claro de que ele deseja voltar a trabalhar. Ele está desempregado desde março, quando deixou o Vélez.

A lista de nomes avaliados é maior, já que o Palmeiras fez um levantamento de treinadores de três escolas: argentina, espanhola e portuguesa. O clube definiu que o escolhido precisa preencher alguns requisitos: jogo ofensivo e intenso, bom trabalho com categorias de base e capacidade de recuperar jogadores em baixa.

Diante da reviravolta inesperada com Ramírez, o Alviverde fará amanhã (25), contra o Atlético-GO, pelo Brasileiro, a terceira partida sob o comando interino de Andrey Lopes, auxiliar da comissão técnica fixa. A partir da semana que vem, o Verdão começará a definir a classificação às quartas de final da Copa do Brasil, contra o Red Bull Bragantino, e, por enquanto, sem um novo treinador.

Palmeiras