PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Heinze no Palmeiras: Como o clube avalia o 'queridinho' das redes sociais

Gabriel Heinze era técnico do Vélez e deixou o clube em março - Divulgação/Vélez
Gabriel Heinze era técnico do Vélez e deixou o clube em março Imagem: Divulgação/Vélez

Thiago Ferri

Do UOL, em São Paulo

23/10/2020 04h00Atualizada em 23/10/2020 13h22

Ao menos nas redes sociais, torcedores do Palmeiras iniciaram uma campanha pela contratação do técnico Gabriel Heinze. Ontem (21), #HeinzeNoPalmeiras foi uma hashtag com destaque nacional, e o nome é de fato um dos mais bem avaliados internamente. A negociação, contudo, não é considerada simples.

Ao demitir Vanderlei Luxemburgo, o Verdão elencou algumas características que seu próximo treinador deveria ter. Entre elas: estilo de jogo agressivo e ofensivo, bom trabalho com as categorias de base, capacidade para recuperar atletas em baixa e experiência no cargo. Um nome perfeito preencheria todas as lacunas, mas a realidade é encontrar aquele que se aproxima ao máximo delas.

Miguel Ángel Ramírez, por exemplo, tem apenas um ano como treinador profissional, só que o Alviverde entendeu que as outras qualidades faziam dele o candidato ideal para o momento. A negociação acabou dando errado, para incômodo do clube, que chegou a ter uma conversa avançada com o espanhol de 35 anos.

Heinze, 42 anos, é um nome que possui o estilo de jogo que o Palmeiras busca, que sabe usar a base e é visto com potencial para fazer atletas em baixa melhorarem. Ainda que jovem, tem um currículo maior que o de Ramírez, pois trabalhou como técnico no Godoy Cruz (ARG), Argentino Juniors (ARG) e Vélez Sarsfield (ARG).

Ele anunciou sua saída do Vélez em março, e a partir disso começam os problemas. Pessoas que conhecem Heinze sabem que ele tem uma situação financeira confortável e não gosta de negociar de forma apressada. O ex-defensor do Real Madrid, Manchester United, PSG e seleção argentina, entre outros, precisa se convencer de que entrará em um bom projeto, tanto que sequer levou para frente procuras recentes de outros clubes.

O Verdão ainda não teve a sinalização de que ele está interessado em voltar a trabalhar agora, mas acompanha de perto sua situação. Heinze é uma pessoa reclusa e com acesso complicado. Ainda que o desejo seja por um novo técnico de forma imediata, o clube sabe que uma negociação com o argentino pode levar mais dias do que o comum.

O seu único título como técnico foi a Série B na Argentina, em 2017, pelo Argentinos Juniors. Torcedores palmeirenses divulgam frequentemente vídeos de seu trabalho, pensando em uma proposta de jogo intensa e mais agradável de se assistir — Heinze diz ter Marcelo Bielsa como exemplo. Além disso, o estilo "linha dura" internamente e até com a imprensa é motivo de elogio nas redes sociais.

O fato de estar se encaminhando para o fim da temporada e o calendário apertado jogam contra o Verdão na busca por um técnico empregado, ou investir em outros nomes que agradam, como Quique Setién, espanhol que trabalhou no Barcelona (ESP).

Aos 62 anos, Setién virou candidato por seu estilo de jogo, que serviu, inclusive, de inspiração para Miguel Ángel Ramírez. O Palmeiras já havia pensado nele em dezembro, quando ainda estava no Real Betis (ESP), mas não chegou a formalizar proposta. Depois disso, teve uma passagem conturbada pelo Barça, com apenas 25 partidas, nenhum título e o 8 a 2 sofrido para o Bayern de Munique, na Champions League.

A ideia é tentar uma opção internacional, mas para assumir ainda nesta temporada. Guto Ferreira e Rogério Ceni chegaram a ser lembrados na semana passada, só que o Palmeiras não considera os candidatos ideais para o momento.

Palmeiras