PUBLICIDADE
Topo

Libertadores - 2020

Blogueiros: Quem se deu bem e quem se deu mal no sorteio da Libertadores

Atual campeão, Flamengo encara o Racing, da Argentina, nas oitavas de final - Alexandre Loureiro/Conmebol
Atual campeão, Flamengo encara o Racing, da Argentina, nas oitavas de final Imagem: Alexandre Loureiro/Conmebol

Do UOL, em Santos (SP)

23/10/2020 14h37

Classificação e Jogos

A Conmebol realizou hoje (23) o sorteio dos jogos das oitavas de final da atual edição da Libertadores. Atual campeão, o Flamengo encara o Racing, enquanto o Internacional tem outra 'pedreira' argentina pela frente: o Boca Juniors.

Na opinião dos colunistas do UOL Esporte, o Palmeiras - que pega o Delfin, do Equador - é o time brasileiro com a vida mais fácil nesse começo de mata-mata. Quem mais se deu bem? Quem se deu mal? Veja as opiniões:

ANDRÉ ROCHA

Sem dúvida, o Palmeiras se deu bem ao enfrentar o Delfin. Assim ganha tempo para fechar com um treinador e chegar mais competitivo nas quartas.

Entre os primeiros colocados, o Flamengo pega a "pedreira": Racing, time intenso e competitivo.

O Internacional, no pote dos segundos colocados, já estava no risco mesmo e o sorteio não foi generoso colocando o Boca Juniors no caminho.

Leia o blog do André Rocha.

DANILO LAVIERI

O Palmeiras pegou um dos piores times, o Delfin, do Equador, que só venceu duas na primeira fase e ainda tem a sorte para os possíveis adversários das quartas. O Flamengo deu azar e pega o Racing, que venceu cinco na primeira fase, e ainda pode pegar Boca ou Inter caso avance.

Leia o blog do Danilo Lavieri.

JULIO GOMES

O Palmeiras foi o clube brasileiro que se deu melhor no sorteio que definiu as oitavas de final e o chaveamento da Copa Libertadores da América.

Além de enfrentar o Delfín equatoriano nas oitavas, um dos rivais mais tranquilos entre os que poderiam pegar, o chaveamento deixou no caminho palmeirense, nas quartas, o vencedor do duelo mais fraco de todos nas oitavas: Jorge Wilstermann (BOL) ou Libertad (PAR).

O time boliviano era o mais fraco entre os primeiros colocados de grupo, e o paraguaio possivelmente o mais fraco entre os segundos. O caminho do Palmeiras está muito aberto até a semifinal.

O Athletico, que já não te mostrado muita coisa no Brasileirão, é teoricamente presa fácil para o River, um dos grandes candidatos ao título.

O outro lado da chave está bem mais complicado. O Internacional foi o azarado do sorteio, mas acabou fazendo por merecer. Afinal, ficou em segundo no grupo e ontem, na última rodada, teve a chance de ser primeiro (acabou poupando jogadores e perdendo o jogo para a já eliminada Católica, do Chile).

O Inter enfrenta logo de cara o Boca Juniors, nas oitavas de final. Se passar, vai enfrentar nas quartas ou o Flamengo, atual campeão e melhor time do continente, ou o Racing, da Argentina, uma agremiação com muita tradição e que, se chegar lá, é porque terá passado pelo Flamengo antes.

Palmeiras e Grêmio são os brasileiros que podem respirar aliviados após o sorteio desta sexta. Flamengo e Santos não pegaram nem o mais fácil nem o mais difícil. Inter e Athlético se deram mal.

Leia o blog do Julio Gomes.

MARCEL RIZZO

Palmeiras se deu bem, não há dúvida. Mesmo na teoria é difícil ver o time sendo eliminado pelo Delfin nas oitavas e nas quartas será favorito contra Libertad ou Jorge Wilstermann. O Grêmio também, sempre na teoria, terá um rival mais fraco, o Guarani. Inter contra o Boca e o Athletico frente o River terão confrontos difíceis logo de cara no mata-mata, assim como o Santos contra o bom time da LDU que cresce ainda mais em Quito. O Flamengo é favorito contra o Racing, mas está em uma chave complicada cruzando cm Boca/Inter e depois chance de ter Grêmio e Santos na semi.

Leia o blog do Marcel Rizzo.

MENON

O Palmeiras é o grande vencedor do sorteio. Tem o caminho aberto para a semifinal. O Inter se deu mal. Pega o Boca, mas pode passar.

Leia o blog do Menon.

MILTON NEVES

Se deram muito bem: Palmeiras e Grêmio. O Verdão despachará facilmente o golfinho-zebra do Equador, e o Tricolor gaúcho não é o Corinthians para cair para o fraquíssimo time paraguaio. Se deram mal: Flamengo e Santos. O Fla que não se iluda com a goleada para cima do escancarado Corinthians. A realidade rubro-negra hoje é o sufoco sofrido contra o Goiás e o contra o Bragantino. Já o Peixe, se o jogo fosse hoje, passaria. Que se mantenha em boa fase até lá. Se deram muito mal: Internacional e Athletico-PR. O Colorado terá que suar sangue, enquanto o Furacão precisará de um milagre.

Leia o blog do Milton Neves.

PERRONE

Essa é moleza. O Palmeiras, em tese, se deu muito bem pegando o Delfin. Porém, não é demais lembrar: zebras acontecem. Internacional e Boca tiveram pé-frio digno de Mick Jagger. É o duelo mais duro.

Leia o blog do Perrone.

RAFAEL REIS

É inegável que o "vencedor" do sorteio da Libertadores dentre os brasileiros é o Palmeiras. O Delfín não é time para complicar a vida do Palmeiras, mas o Palmeiras atual é um time que pode perfeitamente se complicar contra qualquer adversário. Do outro lado da escala da sorte, deu ruim para o Athletico-PR. O River é a equipe mais regular da América do Sul nas últimas temporadas. Por isso, será uma grande zebra se os paranaenses avançarem às quartas.

Leia o blog do Rafael Reis.

RENATO MAURÍCIO PRADO

O Palmeiras, sem dúvida, foi o abençoado no sorteio. Pega o fraquíssimo Delfin e depois o vencedor do duelo entre os igualmente inexpressivos Jorge Wilstermann e Libertad. Pedreira à vista, somente numa semifinal contra o River Plate. Uma tabela perfeita para um time que terá um novo treinador e tempo suficiente para que ele trabalhe até o primeiro jogo realmente duro.

O brasileiro mais azarado, naturalmente, foi o Athletico, que encara o River Plate. Mas o Internacional também pode se queixar da sorte. Além de encarar o Boca Juniors, terá, numa possível sequência, o Flamengo e talvez o Grêmio...

O Flamengo, por sua vez, vai encarar uma sequência difícil, a começar pelo Racing. Mas os supersticiosos já torcem pela repetição dos adversários de 2019, a partir das quartas de final: Inter, Grêmio e River Plate.

Do lado (muito) mais forte da chave, o Grêmio pegou o primeiro adversário mais fácil (o Guarani), mas depois pode encarar Santos ou LDU, rivais bem complicados.

Leia o blog do Renato Maurício Prado.

RODOLFO RODRIGUES

Inter, Santos e Athletico-PR pegaram adversários bem complicados. Acho até que não conseguirão avançar para as quartas. O Flamengo ficou no meio do caminho contra o bom time do Racing. Mas ainda assim é favorito. Já Grémio e Palmeiras deram bem, especialmente o time paulista, ainda mais na sequência das chaves.

Leia o blog do Rodolfo Rodrigues.

RODRIGO MATTOS

Dos clubes brasileiros, Flamengo e Internacional caíram na chave mais forte até as semis ao enfrentarem os argentinos Racing e Boca Juniors, respectivamente. Ambos terão, portanto, uma trilha dura até a semis. Desse lado esquerdo da tabela, aliás, concentram-se sete times com títulos, incluindo o Grêmio e Santos, o que deixa a vaga para a final bem aberta. O confronto santista contra a LDU será complicado pela altitude e porque o time fez boa campanha na Libertadores. O Palmeiras tem o caminho mais fácil até a semifinal com Delfín nas oitavas, e Jorge Wilstermann ou Libertad, nas quartas. Mas, se superá-los, pode ter o River Plate na semi, com a possibilidade da surpresa Del Valle. De qualquer forma, é bom para um time que está se reestruturando.

Leia o blog do Rodrigo Mattos.