PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Tite convoca seleção entre conflito de calendário e desfalques repetidos

Seleção brasileira venceu a Bolívia por 5 a 0 e o Peru por 4 a 2 nas duas primeiras rodadas das Eliminatórias - Miguel Schincariol
Seleção brasileira venceu a Bolívia por 5 a 0 e o Peru por 4 a 2 nas duas primeiras rodadas das Eliminatórias Imagem: Miguel Schincariol

Gabriel Carneiro

Do UOL, em São Paulo

22/10/2020 20h00

Classificação e Jogos

Depois de vencer Bolívia e Peru nas duas primeiras rodadas das Eliminatórias da Copa do Mundo do Qatar no começo do mês, a seleção brasileira volta a jogar em novembro: nos dias 13 (sexta-feira) e 17 (terça), enfrenta Venezuela e Uruguai, respectivamente. Os 23 jogadores convocados para estes compromissos serão conhecidos amanhã (23), às 11h, em entrevista coletiva virtual do técnico Tite.

Como sempre, conflitos de calendário estarão em evidência nesta convocação. É que de acordo com o cronograma da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), as quartas de final da Copa do Brasil estão marcadas para as semanas dos dias 11 e 18 de novembro - justamente o período dos jogos das Eliminatórias.

Estiveram na lista de convocados de outubro cinco jogadores que atuam no Brasil: Weverton e Gabriel Menino (Palmeiras), Santos (Athletico-PR) e Rodrigo Caio e Everton Ribeiro (Flamengo). Os três clubes disputam as oitavas de final da Copa do Brasil vindos da Libertadores e poderiam ser afetados pelos desfalques.

Ano passado, Tite não convocou jogadores que atuavam no país por coincidência de datas com a reta final da Copa do Brasil. Mas, na ocasião, eram somente amistosos contra Argentina e Coreia do Sul, e não compromissos oficiais que valem pontos na caminhada até o Qatar.

Everton Ribeiro - Lucas Figueiredo/CBF - Lucas Figueiredo/CBF
Everton Ribeiro, do Flamengo, saiu do banco nas duas primeiras rodadas e agradou Tite
Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Capitão de volta?

Meio-campista do São Paulo e lateral-direito na seleção brasileira, o experiente Daniel Alves tinha disputado só três jogos depois de se recuperar de uma fratura no braço direito e não foi convocado por Tite contra Bolívia e Peru. Agora já são oito partidas, inclusive uma delas como lateral, e há chances de retornar à lista de 23 nomes desde que o treinador não abra mão de quem atua no Brasil.

Dani Alves é o capitão fixo da seleção brasileira desde a Copa América de 2019, exceto em dois amistosos do ano passado e nas duas primeiras rodadas das Eliminatórias. Casemiro (três vezes) e Thiago Silva ocuparam a função, mas Tite não cravou um novo rodízio, nem a mudança do dono da braçadeira.

Daniel Alves - Marcello Zambrana/AGIF - Marcello Zambrana/AGIF
Daniel Alves ficou fora dos quatro últimos jogos da seleção
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Em contrapartida ao possível retorno de Dani Alves, dois desfalques repetidos para a seleção brasileira: o goleiro Alisson, do Liverpool, e o atacante Gabriel Jesus, do Manchester City, continuam em tratamento de uma lesão no ombro esquerdo e um problema muscular, respectivamente. Ambos estavam na última convocação, mas foram trocados por Ederson (Manchester City) e Matheus Cunha (Hertha Berlim).

Entre os 23 convocados, dois problemas na zaga: Marquinhos e Rodrigo Caio ainda não atuaram depois da seleção por causa de questões físicas, mas enquanto o primeiro já é considerado recuperado pelo PSG, o outro trata um edema ósseo no joelho direito e não está 100% segundo o Flamengo.

O Brasil enfrenta a Venezuela no dia 13 de novembro, no Morumbi. Depois viaja ao Uruguai para jogar no estádio Centenário no dia 17. Os horários ainda não foram definidos.

Futebol