PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Marcos Guilherme se recupera após queda e revela conversa com Coudet

Marcos Guilherme recuperou posto no time do Inter após queda de rendimento - Ricardo Duarte/Inter
Marcos Guilherme recuperou posto no time do Inter após queda de rendimento Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

20/10/2020 15h52

Classificação e Jogos

Marcos Guilherme admite que teve uma queda de rendimento no Inter. Após a paralisação em razão da pandemia de novo coronavírus, o meia-atacante perdeu espaço no time titular. Recuperado e novamente na escalação ideal, o jogador revelou conversa com Eduardo Coudet e adaptação ao posicionamento necessário.

"Pouco antes da pandemia, eu estava rendendo melhor, estava muito bem, nosso time encaixado e eu conseguindo atuar. Depois, tive uma caída no meu rendimento. Eu fiquei muito incomodado, todos sabem como eu me cobro. Saí do time e foi merecido, não estava rendendo o esperado", admitiu o jogador em entrevista coletiva.

"Conversei com a comissão técnica, com meus companheiros, todos me deram apoio. Acho que nesses últimos três jogos eu consegui recuperar meu futebol e ajudar o time, dentro das minhas características. Estou feliz com estes últimos jogos", completou.

Neste período, Marcos Guilherme procurou, principalmente, o técnico Eduardo Coudet. Do argentino, ele ouviu o que precisava ser feito na posição que ocupa em campo e como poderia ajudar. Além de ter recebido apoio e confiança para reencontrar a melhor fase.

"As conversas eram diárias. Eu me cobro muito, quero sempre o melhor rendimento. Sei que voltei abaixo, é difícil citar um motivo. Teve alguns detalhes de posicionamento, de posição, coisas mais internas mesmo. O Coudet foi um cara importantíssimo na minha retomada. Sabemos que é um cara confiável, que vai nos falar a verdade, seja ela boa ou ruim. As conversas foram francas, ele me passou o que esperava", contou.

"Falta de trabalho não foi. Ele sabe o profissional que eu sou. São coisas de campo, eu não estava conseguindo fazer os movimentos. E, para o jogador, quando a confiança cai em um, dois, três jogos, a situação fica complicada. A mente interfere muito. Mas todos me deram instruções e confiança", acrescentou.

A novidade no posicionamento é a necessidade de jogar mais centralizado do que fez ao longo da carreira. Marcos Guilherme foi extrema, atacante, agora atua numa zona de criação.

De volta ao time titular, ele quer dar "dor de cabeça" ao comandante que terá, em breve, o retorno de Boschilia — que está lesionado — para disputar posição no meio-campo.

"Quem tem a crescer é o grupo. Colocamos essa dor de cabeça no treinador. Todos querem ajudar. Se começar ou entrar no decorrer do jogo, o importante é o time brigar por vitórias e títulos", finalizou.

O Inter encara a Universidad Católica na quinta-feira (22), às 21h30 (de Brasília), no Chile, pela última rodada do grupo E da Libertadores.

Internacional