PUBLICIDADE
Topo

Corinthians

Andrés se culpa por Corinthians no Z4 e cobra o elenco: "Situação ridícula"

Andrés Sanchez fez cobranças ao elenco do Corinthians - Marcello Zambrana/AGIF
Andrés Sanchez fez cobranças ao elenco do Corinthians Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Do UOL, em São Paulo

12/10/2020 04h00

Classificação e Jogos

De volta à zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro depois de oito anos, o Corinthians vive a expectativa pela chegada do técnico Vagner Mancini. Com o time sem vencer há cinco partidas, o presidente Andrés Sanchez colocou a culpa pelo momento nele e nos jogadores, eximiu o interino Dyego Coelho e tratou a atual situação como "ridícula".

"Nosso time não era para ser o melhor do Brasil, mas estaria entre os melhores. Os jogadores precisam melhorar de produção, eles precisam dar um pouco mais, porque a situação é ridícula. Faltam 23 rodadas e temos de trabalhar para sair desta situação", avisou o dirigente, depois da derrota no Castelão.

"Nunca pensamos em efetivar o Coelho, ele é o menos culpado. A culpa é minha e dos atletas. Os jogadores precisam corresponder e eu também. Vou estar o mais próximo possível do elenco. Vamos trabalhar para sair desta situação, que é o que o corintiano quer", acrescentou.

O Timão ficou um mês sob o comando de Coelho, entre a demissão de Tiago Nunes e a escolha por Vagner Mancini, que deve ser anunciado ainda hoje (12). Com o treinador interino, o Corinthians venceu apenas o Bahia, empatou com Atlético-GO, Red Bull Bragantino e Santos, e perdeu para Fluminense, Sport e Ceará.

Com Vagner Mancini, o clube tenta evitar viver o mesmo drama de 2007, quando caiu para a Série B. O elenco deve ter poucas mudanças neste momento, mas Andrés não descarta a chegada de contratações pontuais.

"Não dá tempo de reformular o elenco, mas estamos abertos no mercado. Com o novo treinador, vamos ver se tem alguma oportunidade. Mas confiamos nos jogadores que temos. Estão em uma fase péssima, mas eles têm consciência para melhorar nos próximos jogos", completou.

"Temos que trabalhar todos juntos. Os jogadores têm que saber sua responsabilidade. Cada um precisa saber onde toca o calo, porque na situação que está, o Corinthians não pode ficar", encerrou o dirigente.

Corinthians