PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Linha de 5 (a 0): estratégia funciona, e Brasil goleia Bolívia em estreia

Seleção brasileira comemora gol contra a Bolívia na Neo Química Arena e coroa atuação de gala nas Eliminatórias - Lucas Figueiredo/CBF
Seleção brasileira comemora gol contra a Bolívia na Neo Química Arena e coroa atuação de gala nas Eliminatórias Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Gabriel Carneiro

Do UOL, em São Paulo

09/10/2020 23h25

Classificação e Jogos

A seleção brasileira não podia começar melhor sua caminhada nas Eliminatórias para a Copa do Mundo do Qatar. Hoje (9) à noite, na Neo Química Arena, a equipe comandada por Tite goleou a Bolívia por 5 a 0, gols de Marquinhos, Firmino (2), Philippe Coutinho e Carrasco (contra).

Apesar de a Bolívia ser um adversário frágil, que vive forte crise institucional na federação e contou apenas com jogadores do campeonato local em campo, o Brasil jogou de maneira ofensiva, agressiva, com novidades estreantes em jogos oficiais (Renan Lodi e Douglas Luiz) e grande desempenho fruto de uma formação tática ousada, em que o lateral-esquerdo mais jogou como atacante num esquema 2-3-5.

O próximo jogo da seleção brasileira será na terça-feira, às 21h, fora de casa, contra o Peru. Já a Bolívia atua como mandante no mesmo dia, às 17h, contra a Argentina. Depois disso, o Brasil volta a se reunir somente em novembro.

Neymar desequilibra (de novo)

Dúvida na escalação de Tite até momentos antes de a bola rolar, Neymar foi o melhor em campo em São Paulo. Ele participou da jogada do segundo gol com o passe para assistência de Renan Lodi e ainda deu duas assistências diretas, nos terceiro e quinto gols. Aberto pela esquerda caindo para o centro do campo com dribles, passes e velocidade, o camisa 10 mostrou a razão de ser imprescindível na seleção, mesmo sem gol marcado.

Neymar disputa jogada com Jesus Sagredo em Brasil x Bolívia - Miguel Schincariol - Miguel Schincariol
Neymar disputa jogada com Jesus Sagredo em Brasil x Bolívia
Imagem: Miguel Schincariol

Sagredos sofrem na Bolívia

Os laterais da seleção boliviana, Jesús e José Sagredo, tiveram problemas com a ofensividade da seleção brasileira e foram incomodados o tempo todo por Éverton Cebolinha [depois Rodrygo], Neymar, Philippe Coutinho e Renan Lodi.

2-3-5: programado para amassar

Nos treinos da semana, a seleção se posicionou variando entre os esquemas táticos 4-2-3-1 e 4-3-3. Mas hoje, graças ao longo tempo de posse de bola e domínio dos espaços, o time se posicionou na maior parte do tempo no 2-3-5 ou 2-4-4. Dois zagueiros mais atrás, segunda linha com Danilo, Casemiro e Douglas Luiz e Coutinho flutuando entre o meio e o ataque, onde apareceram Éverton, Neymar, Firmino e Renan Lodi.

Firmino - Lucas Figueiredo/CBF - Lucas Figueiredo/CBF
Roberto Firmino comemora gol marcado para a seleção brasileira contra a Bolívia junto com Douglas Luiz
Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Encurradada, a Bolívia povoou a entrada da área para tentar dificultar, mas o Brasil também é especialista no perde-pressiona, quando você é desarmado e luta até recuperar a bola. Uma seleção programada para amassar.

E também tem goleiro

O Brasil fez dois gols no primeiro tempo e aumentou a vantagem logo aos três minutos da etapa complementar. Poucos minutos depois, o boliviano Bruno Miranda cortou da esquerda para dentro, viu chance e chutou forte em direção ao gol. Weverton, que mal havia encostado na bola em toda a parte inicial do jogo, fez uma defesaça. Foi só o terceiro jogo do goleiro do Palmeiras, titular na ausência do lesionado Alisson, pela seleção

Laterais em noite de gala

Os dois gols marcados no primeiro tempo, aos 15 e 30 minutos, foram com assistências dos laterais, Danilo e Renan Lodi. O primeiro foi num escanteio curto cobrado por Éverton para Danilo, que cruzou na cabeça de Marquinhos. Já o segundo surgiu numa troca de passes entre Renan Lodi e Neymar pelo lado esquerdo. O cruzamento do lateral, rasteiro, encontrou Firmino no meio da área para concluir.

Aos três minutos do segundo tempo, em contra-ataque rápido, Renan Lodi acionou Neymar na ponta e o camisa 10 enfiou entre os zagueiros da Bolívia, onde encontrou Firmino para marcar o segundo dele, terceiro do Brasil. O quarto saiu aos 20, quando Coutinho invadiu a área pela direita e cruzou para Rodrygo. O cabeceio do jogador do Real Madrid bateu em Carrasco antes de entrar. Já o quinto veio sete minutos depois, com passe de Renan Lodi para Neymar, que cruzou na medida para Philippe Coutinho marcar.

Marquinhos - Miguel Schincariol - Miguel Schincariol
Marquinhos comemora primeiro gol da seleção contra a Bolívia com assistência de Danilo
Imagem: Miguel Schincariol

Torcedores ilustres

Vazia graças à pandemia, a Neo Química Arena recebeu torcedores ilustres hoje à noite: o mascote Canarinho Pistola, devidamente mascarado, tocou bumbo nas arquibancadas sem ninguém. Já no Setor Norte do estádio do Corinthians foram estendidas pelo "Movimento Verde-amarelo" faixas e bandeiras em referência a diferentes ídolos da história da seleção.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 5 x 0 BOLÍVIA

Competição: Eliminatórias Sul-Americanas à Copa do Mundo, 1ª rodada
Local: Neo Química Arena, em São Paulo (SP)
Data/hora: 9 de outubro de 2020 (sexta-feira), às 21h30
Árbitro: Leodan González (Uruguai)
Assistentes: Nicolás Tarán e Richard Trinidad (ambos do Uruguai)
VAR: Esteban Ostoich (Uruguai)
Cartões amarelos: Thiago Silva (BRA), Carrasco, Campos, Zabala, Cespedes (BOL)

GOLS: Marquinhos, aos 15/1ºT (1-0), Roberto Firmino, aos 30/1ºT (2-0) e aos 3/2ºT (3-0), Carrasco (contra), aos 20/2ºT (4-0) e Philippe Coutinho, aos 27/2ºT (5-0).

BRASIL: Weverton; Danilo, Marquinhos, Thiago Silva (Felipe) e Renan Lodi (Alex Telles); Casemiro e Douglas Luiz; Éverton Cebolinha (Rodrygo), Philippe Coutinho (Everton Ribeiro) e Neymar; Roberto Firmino (Richarlison). Técnico: Tite.

BOLÍVIA: Carlos Lampe; Jesús Sagredo, José María Carrasco, Gabriel Valverde e José Sagredo; Antonio Bustamante (Frank González), Fernando Saldias (Boris Cespedes) e Diego Wayar (Leonardo Zabala); Cristian Arabe (Rudy Cardozo), Bruno Miranda e César Menacho (Jhasmani Campos). Técnico: César Farías.

Futebol