PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Rival do Grêmio usou feiticeiro em decisão e iniciou o fim da 'era Luan'

Divulgação/U. Católica
Imagem: Divulgação/U. Católica

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

29/09/2020 04h00

A Universidad Católica, que enfrenta o Grêmio hoje (29), em Porto Alegre, une duas passagens recentes da história do time de Renato Gaúcho. A vez em que nem um feiticeiro tirou título — o reforço místico tentou ajudar o Independiente-ARG, na Recopa Sul-Americana de 2018. E mais recentemente, o clube de Santiago deu início ao fim da 'era Luan', agora no Corinthians.

Grêmio e Católica se enfrentam pela quinta rodada da fase de grupos da Copa Libertadores, às 19h15 (horário de Brasília). Se vencer, o time gaúcho fica muito perto da classificação às oitavas de final — resultados paralelos até podem garantir a vaga antecipada.

A primeira conexão com o Grêmio tem Ariel Holan como elo. O treinador comandava o Independiente em 2018 e levou Manuel Valdez à Arena. O feiticeiro tem histórico recheado de atuações no futebol argentino e fez suas práticas no vestiário para reforçar as chances de título. Em campo, talvez a mandinga tenha ajudado um pouco. A taça da Recopa ficou com o Grêmio, mas só nos pênaltis e com Marcelo Grohe sendo herói.

Depois daquele jogo, Maicon chegou a ironizar o visitante diferente. E o Independiente se incomodou com perguntas sobre a presença de Valdez.

Corta para 2019. É a vez da Católica entrar na história mesmo.

O time chileno venceu o Grêmio na fase de grupos da Copa Libertadores e instaurou uma crise no clube gaúcho. Depois da partida em Santiago, Renato Gaúcho e os dirigentes se reuniram e avaliaram a atuação abaixo da crítica. Luan, que vinha com jogos ruins, foi afastado. Começava o fim.

Eleito melhor jogador da América do Sul em 2017, o meia-atacante ficou treinando longe do grupo sob argumento de problemas físicos. Depois do episódio, cada dia era uma contagem regressiva. Luan chegou a fazer outros gols, a ter lampejos. Mas nunca ficou perto do nível que apresentou antes.

A derrota para Católica é apontada internamente como momento de grande turbulência dentro do atual ciclo vitorioso. Além de Luan inócuo, o time virou o turno da fase com um ponto e grandes chances de ser eliminado precocemente da Libertadores.

Agora, Grêmio e Católica com Ariel Holan não vale título. Não tem mais Luan. Mas significa muito também. Um passo rumo à próxima fase.

Futebol