PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Globo ataca Fla em 'jogo da discórdia': 'incompetência, insensibilidade'

Globo critica realização de Palmeiras X Flamengo pelo Brasileirão - Marcello Zambrana/AGIF
Globo critica realização de Palmeiras X Flamengo pelo Brasileirão Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Colaboração para o UOL, em São Paulo

27/09/2020 16h29Atualizada em 27/09/2020 18h17

Classificação e Jogos

Responsável pela transmissão do empate em 1 a 1 entre Palmeiras e Flamengo, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro, a Globo subiu o tom das críticas em relação à realização do jogo conforme a bola rolava no Allianz Parque, e teve o Rubro-Negro como principal alvo.

A emissora abriu a transmissão ainda com a partida suspensa, com Luis Roberto chamando o confronto de "jogo da discórdia". Pouco depois, com a confirmação do confronto, o narrador reprovou o atraso do time carioca, que chegou ao Allianz Parque faltando cerca de 20 minutos para o começo do jogo, e postergou o apito inicial.

"A direção do Flamengo fez outro erro agora, porque, ao invés de ir para o estádio, - todos sabiam que a CBF estava tentando cassar as liminares - atrasou a saída do hotel. Então, o Flamengo chegou agora pouco, os meninos não vão nem aquecer direito", destacou Luis Roberto enquanto aguardava os rubro-negros irem para o gramado. O Fla teve 30 minutos para ir a campo.

Após derrota no Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT-RJ), responsável por decretar o adiamento do jogo, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), minutos antes da partida, a reverteu a decisão no Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Já os comentaristas Júnior e Paulo Nunes se dedicaram exclusivamente aos desfalques do Flamengo para a partida. Um surto de covid-19 afetou mais de 40 pessoas no clube, inclusive 19 jogadores.

"É impossível deixar de lado todos os acontecimentos, mas quando eu vejo essa garotada, que vai ter uma oportunidade... É logico que eles não têm a responsabilidade de fazer uma grande partida. Quando você olha essa defesa toda montada só por garotos, isso pode ser um ponto positivo, porque já se conhecem. Eu gostaria de ver essa molecada em outra situação, mais tranquila", analisou Júnior.

"Dificulta bastante o lado mental do atleta, mas, por outro lado, a vontade que esses garotos estão de jogar. É o jogo da vida deles. Oportunidade única. Dentro de campo, vão tentar administrar isso", completou Paulo Nunes.

Com a bola rolando, Luis Roberto voltou a comandar as cornetas, repetindo diversas vezes que o confronto era o "jogo da discórdia". Em determinado momento, o narrador fez questão de dizer que se tratava em uma transmissão ao vivo, não de uma reprise.

As críticas seguiram no intervalo, mas em tom mais severo, quando Luis Roberto passou a adotar termos como "incompetência", "incoerência" e "massacre" ao se referir ao jogo.

"Seguinte, meus amigos. Esse é um jogo que ficou envolvido numa polêmica danada, e a gente não vai ficar aqui amassando isso para você. Você sabe muito bem, tudo envolvido: incompetência, incoerência, falta de bom senso", opinou o narrador que, na sequência, chamou as entrevistas de Felipe Melo e Pedro.

"No fundo, no fundo, é o seguinte: ninguém tem razão nessa parada. Massacram o futebol brasileiro", concluiu.

UOL Esporte vê TV