PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Derrota para o Flamengo fez Palmeiras prometer "revolução". Ela aconteceu?

Thiago Ferri

Do UOL, em São Paulo

26/09/2020 04h00

Classificação e Jogos

Derrotado no último duelo com o Flamengo, em dezembro, o Palmeiras decidiu que precisava de "mudanças profundas" no departamento de futebol. Com as demissões de Alexandre Mattos e Mano Menezes, o presidente Maurício Galiotte falava em acompanhar as transformações do futebol brasileiro. Amanhã (27), os rivais voltam a se enfrentar no Allianz Parque, mas sem toda revolução alviverde concluída.

Galiotte e membros da diretoria entendem que o Verdão conseguiu colocar em prática algumas novidades, como o uso das categorias de base, ter uma equipe mais aguerrida e voltar a vencer títulos em 2020, com o Paulistão.

O principal questionamento, porém, é pela expectativa criada de ter um time ofensivo, que apresentasse um futebol vistoso. Sem Jorge Sampaoli, Vanderlei Luxemburgo foi escolhido e tem dado bons resultados na temporada; a torcida, porém, critica bastante o nível das atuações desde o título estadual.

Veja quais eram os principais pontos de mudança, e quais foram atingidos:

Felipe Melo e Gabigol - Cesar Greco - Cesar Greco
Imagem: Cesar Greco

Novo estilo de jogo

Com técnicos estrangeiros em alta, o Palmeiras decidira que Jorge Sampaoli seria o nome para criar essa nova filosofia no clube. Galiotte e Anderson Barros, substituto de Mattos, foram ao Rio de Janeiro (RJ) negociar com o argentino, mas não chegaram a um acordo financeiro. Miguel Ángel Ramírez, do Independiente del Valle (EQU), era outra opção na mesma linha de novidade. A escolha, porém, foi por um caminho bem diferente, de um nome de consenso político: o experiente Luxemburgo.

Luxa chegou falando no DNA ofensivo do futebol brasileiro e que a meta era fazer do Palmeiras a melhor equipe do Brasil. Isto criou a expectativa que tem feito o Verdão receber críticas, mesmo com uma invencibilidade de 17 partidas. Na quarta (23), o treinador se incomodou com a discussão entre bons resultados e a falta de desempenho ao encaminhar a vaga nas oitavas da Copa Libertadores. A diretoria tem o respaldado neste embate.

Reformulação no elenco

O Palmeiras na derrota para o Fla por 3 a 1, em 1º de dezembro, atuou com: Jaílson, Marcos Rocha, Luan, Vitor Hugo e Diogo Barbosa; Felipe Melo (Matheus Fernandes), Bruno Henrique, Ramires (Gustavo Scarpa), Lucas Lima (Willian) e Dudu; Luiz Adriano. Desta relação, Diogo foi vendido ao Grêmio, e Matheus Fernandes, ao Barcelona (ESP). Dudu, principal jogador do elenco, acertou por empréstimo com o Al-Duhail (QAT), e Vitor está negociando com o Trabzonspor, da Turquia.

Deyverson e Carlos Eduardo eram dos jogadores mais desgastados com a torcida e nem entraram nos planos de Luxemburgo para 2020. O ídolo Fernando Prass, além de Antônio Carlos, Thiago Santos e Borja foram outros atletas que saíram. Na época, porém, esperava-se mais mudanças, diante da promoção de garotos das categorias de base.

Uso das categorias de base

Este é o grande acerto entre as promessas feitas no ano passado. Patrick de Paula, Gabriel Menino, Danilo, Veron e Wesley estão entre os garotos usados frequentemente por Luxemburgo - Menino, inclusive, foi convocado para a seleção brasileira. As boas atuações dos garotos deram mais força à reformulação, mesmo sem tantas saídas, já que alguns deles tomaram posições de jogadores mais rodados, como Bruno Henrique, Ramires e Gustavo Scarpa.

Esta nova política foi ao encontro de uma postura mais cautelosa no mercado, com apenas duas contratações: Viña e Rony. O Verdão gastou acima do previsto em 2019 e fez uma correção para 2020.

Postura dos jogadores

A principal irritação naquele jogo também no Allianz Parque foi a postura pouco combativa dos atletas. Galiotte tocou bastante neste ponto à época. "Uma falta de atitude, falta de entrega dos nossos atletas, falta de postura. Este não é o Palmeiras que a gente planeja e que cresceu nos últimos anos", reclamou.

O que era um ponto negativo tornou-se motivo de elogio neste ano, com a avaliação de que este time briga bastante, até por isso carrega uma sequência de dois meses sem perder, mesmo tendo jogos abaixo do esperado no caminho. A torcida, por sua vez, ainda reforça o pedido por um melhor desempenho.

Palmeiras