PUBLICIDADE
Topo

Santos

Peres diz que pandemia também motivou saída de Jesualdo: "Grupo de risco"

Jesualdo Ferreira foi demitido no início de agosto, semanas após o retorno do futebol brasileiro, após eliminação no Paulistão - Fernanda Luz/AGIF
Jesualdo Ferreira foi demitido no início de agosto, semanas após o retorno do futebol brasileiro, após eliminação no Paulistão Imagem: Fernanda Luz/AGIF

Do UOL, em São Paulo

25/09/2020 14h43

O presidente do Santos, José Carlos Peres, afirmou que a demissão de Jesualdo Ferreira, ocorrida em agosto após eliminação no Paulistão, se deu também pelo ajuste do calendário do futebol em função da pandemia do coronavírus.

"O Jesualdo não vinha tendo bons resultados e houve pressão grande. Eu segurei o máximo que pude, e não foi só pelos resultados, mas pela idade diante do novo cenário do futebol brasileiro. No cenário na contratação foi um, na demissão foi outro. Ele é grupo de risco", disse o dirigente em entrevista ao BB Debate, da ESPN Brasil.

Peres aproveitou para elogiar o técnico português e disse que não conseguiu conversar com o treinador português.

"Como técnico, [Jesualdo foi] nota 10. O problema analisado nele não foi deficiência técnica, e quis até dizer isso a ele, mas não tive oportunidade. A questão foi o novo cenário de muitos jogos e que não é coerente com técnico de 74 anos. Até tentei falar com ele em seguida, mas não consegui. Tentei pelo celular. Queria ter essa conversa para não ficar nada no ar, mas ele foi embora", prosseguiu.

Na entrevista à emissora, Peres ainda reafirmou a posição contrária do Santos em ter a volta das torcidas apenas para alguns times. Sobre o surto de covid-19 no Flamengo, o dirigente afirmou que a falta de datas da CBF pode dificultar um adiamento.

Santos