PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Calendário caótico do sub-20 fará Vasco jogar no mesmo dia em BH e no Rio

Atacante MT durante clássico entre Vasco e Botafogo pelo Carioca sub-20: calendário caótico na categoria - Dikran Júnior/Divulgação
Atacante MT durante clássico entre Vasco e Botafogo pelo Carioca sub-20: calendário caótico na categoria Imagem: Dikran Júnior/Divulgação

Alexandre Araújo e Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

22/09/2020 04h00

Quem for pegar os próximos compromissos do sub-20 do Vasco poderá estranhar. Nele, irá constar que a equipe jogará amanhã (23) tanto no Rio de Janeiro (RJ), às 10h, contra o Macaé, pelo Campeonato Carioca, quanto em Belo Horizonte (MG), às 15h, diante do Cruzeiro, pelo Campeonato Brasileiro. Porém, por mais pitoresco que possa parecer, não há um erro de informação.

Se o calendário do profissional já está apertado após a retomada do futebol na pandemia do coronavírus, a situação é ainda mais caótica na categoria inferior. O mais surpreendente é que o fato de o Cruz-Maltino ter que jogar duas vezes nesta quarta-feira não será algo pontual, e sim uma rotina muitas vezes daqui para frente não só com o clube de São Januário, como também com Botafogo, Flamengo e Fluminense.

O trio rival, por exemplo, terá uma pequena diferença nesta semana, jogando amanhã e quinta, cada dia por uma competição.

A solução encontrada por eles tem sido a de colocar reservas ou jogadores sub-18 no Estadual e os titulares no Brasileiro.

Segundo o gerente de futebol da base do Vasco, Carlos Brazil, tudo foi devidamente alinhado com a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) e com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O dirigente minimizou a questão e disse que o Cruz-Maltino tem elenco suficiente para atender as demandas.

"O Vasco já sabia desde o início dessa possibilidade de ter um calendário apertado. Tanto a Ferj quanto a CBF consultaram os clubes. Aqui no Rio os quatro grandes deram o ok, disseram que não teria problema e jogariam com times alternativos, e é isso que vai acontecer. Nós iremos jogar com um alternativo no Carioca e um principal no Brasileiro. Então, não há grande problema", declarou Brazil ao UOL Esporte.

"A gente vai pedir uma mudança ou outra de data, eventualmente, para simplificar a questão de banco, de comissão técnica, e etc. Vamos solicitar isso para a Ferj, que está sempre aberta e tranquila em relação a isso. Então, não vai ter nenhum tipo de problema. Foi tudo alinhado com Ferj e CBF e a gente tem elenco suficiente para atender as demandas", completou.

Hiato de cinco meses

Técnico da equipe sub-20, Alexandre Grasseli destacou ainda o longo período que a categoria ficou paralisada por conta da pandemia do coronavírus. Segundo ele, o Vasco aproveitou o período para realizar o planejamento desta temporada completamente atípica:

"Temos realmente pela frente um grande desafio, que é disputar simultaneamente o Carioca e o Brasileiro. Haja visto que a paralisação, devido à pandemia, nos criou um hiato aí de pelo menos cinco meses sem treino. O reinício foi um grande desafio também, mas acredito que foi um momento de muita produtividade, de ajuste das equipes e também de um planejamento de gestão do elenco para que as decisões possam ser tomadas da melhor forma possível com o objetivo de manter sempre um equilíbrio e competitividade de ambas as equipes."

Fla cria categoria sub-18 para atender demanda

Motivado pelo aperto do calendário, o Flamengo decidiu por criar uma equipe sub-18 e a colocará para os compromissos do Campeonato Carioca sub-20.

"Já havia um tempo que tínhamos o planejamento de oficializar o sub-18 como uma nova categoria de trabalho dentro da nossa estrutura de futebol de base. Com o apoio da direção do clube, isso foi feito a partir da atual temporada. Com a redução do período de competições para apenas seis meses e o acúmulo de jogos, seria totalmente inviável utilizarmos apenas o elenco sub-20 nas três competições, já que pelo calendário teremos semanas com até quatro jogos, com muitas viagens pelo país. Teremos espaço para nossos atletas de primeiro ano na categoria, que anteriormente pouco jogavam, poderem atuar mais e dar sequência ao seu desenvolvimento, orientados diariamente por uma comissão técnica vitoriosa e totalmente competente, comandada pelo treinador Mário Jorge. Nossa integração e troca de ideias e informações é diária e constante", explicou ao site oficial do Flamengo o técnico do sub-20, Mauricio Souza.

Flu mantém 45 jogadores no sub-20

Para conseguir disputar todas as competições, o Fluminense decidiu por manter 45 jogadores no elenco do sub-20. Na avaliação da direção de base, o calendário apertado servirá para o Tricolor rodar o elenco.

"Infelizmente é um ano muito atípico, por tudo o que esta acontecendo. É uma situação que já tínhamos nos preparado para isso, por isso mantivemos 45 atletas no nosso Sub-20. Não fomos pegos de surpresa. Vai ser até importante, neste momento, esta situação, pois vamos poder avaliar em campo alguns atletas mais novos, uma vez que ficamos seis meses parados por conta da pandemia. Vamos priorizar as competições nacionais e atuar no Estadual com um time alternativo, dando assim minutagem de jogo para todos os atletas", disse o diretor-executivo da base do Flu, Antônio Garcia.

Bota não quer desgaste como "desculpa"

O Botafogo está ciente das dificuldades impostas pelo calendário, mas não quer utilizar o desgaste que ele irá gerar como "desculpa" para a temporada de sua equipe sub-20.

"Dentro da realidade atual de um período de pandemia que estamos passando, entendemos que o calendário da categoria Sub-20 sofreu reflexos e será um tanto atípico durante essa temporada. Entretanto, estamos trabalhando para promover o maior nível de competição possível tanto no Campeonato Brasileiro quanto no Campeonato Carioca. Sabemos que o desgaste será grande por existirem partidas muito próximas, mas isso não pode servir como desculpa. Nós traçamos um planejamento interno e as utilizaremos para dar rodagem ao nosso elenco, oportunizando assim também os atletas mais jovens da categoria. Então, vamos encarar com muita seriedade e buscar resultados que representem bem toda a grandeza do Botafogo", declarou ao UOL Esporte o gerente-geral da base alvinegra, Tiano Gomes.

Recomendação de intervalo de 60 horas

Um ponto importante é que a Ferj recomendou que haja um intervalo de ao menos 60 horas para um atleta atuar entre uma partida e outra. Caso o clube queira utilizar o jogador num período menor que esse, terá que apresentar um laudo médico para tal:

"Em reuniões anteriores às competições, os clubes entenderam a necessidade de colocar seus elencos em atividade. O jogador tem de estar em condições legais de jogar o campeonato. E o mesmo atleta não pode jogar em espaço de tempo inferior a 60 horas, a não ser com laudo de autorização do médico", disse o comunicado da Ferj repassado pela assessoria de imprensa da entidade.

Competições canceladas do sub-7 ao sub-16

A pandemia do coronavírus impactou diretamente em outras categorias inferiores. As competições do sub-7 ao sub-16, por exemplo, foram canceladas em todo o país. Além do sub-20, somente o sub-17 terá calendário, e nas mesmas condições, com competições simultâneas.

Além do Campeonato Carioca e do Campeonato Brasileiro, as duas categorias ainda terão a Copa do Brasil.

Para se ter uma ideia do aperto, o calendário que normalmente duraria dez meses agora irá durar seis, terminando em fevereiro de 2021.

Vasco