PUBLICIDADE
Topo

Santos

Bastidores: Conselho do Santos pede punição a gestores suspensos pelo STJD

Conselho Deliberativo do Santos - UOL
Conselho Deliberativo do Santos Imagem: UOL

Eder Traskini e Ricardo Perrone

Do UOL, em Santos e em São Paulo

21/09/2020 14h05

Conselheiros protocolaram hoje (21), no Conselho Deliberativo (CD) do Santos, um requerimento pedindo punição aos membros do Comitê de Gestão, Pedro Dória e Matheus Rodrigues. O presidente do CD, Marcelo Teixeira, informou ao UOL Esporte que o caso está com a Comissão de Inquérito e Sindicância (CIS).

Os dois foram suspensos pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por 20 dias após serem denunciados pelo árbitro Wilton Pereira Sampaio na súmula da derrota por 1 a 0 para o Flamengo. O pedido dos conselheiros é que a dupla seja suspensa também internamente.

"Não quero com este procedimento defender o árbitro. Apenas entendo que faltou postura aos dirigentes ao invadir gramado. Esta não é a conduta adequada. O certo é que os dirigentes tenham força política na CBF e na FPF e façam suas reclamações por lá, sem expor o clube ao vexame como eles fizeram", opinou Diego Turato, autor do requerimento.

A reportagem ouviu Dória e Rodrigues sobre o tema e ambos afirmaram que não adentraram as linhas do gramado e que teriam credenciamento para estarem no local onde fizeram as reclamações relatas pelo árbitro do jogo.

"É uma tentativa infrutífera de nos atacar, de nos atrapalhar. Não cometemos nenhum ato que puna o clube. Fizemos uma crítica a uma situação que ocorreu e foi ridícula. Tivemos uma interferência muito grande do VAR, decisões equivocadas no nosso julgar, e nós como somos dirigentes do clube e chefes de delegação, nós tínhamos total acesso e credenciamento para estar dentro do gramado. Antes dos jogos somos responsáveis por fazer a vistoria junto aos delegados da partida. Nossa pena foi em função da nossa manifestação de forma negativa, sem precisar quem fez a manifestação. E isso foi defendendo os interesses do clube", disse Pedro Dória em contato com o UOL Esporte.

"Não houve invasão, palavrão ou ofensa. Não houve ofensa. Com credencial, fomos apenas cobrar a questão do critério dos lances aplicados naquele jogo. Cabe à CBF, através do STJD, julgar. Isso já foi feito e estamos cumprindo a pena", afirmou Matheus Rodrigues à reportagem.

Dória ainda informou ao UOL Esporte que se reunirá hoje mais uma vez com Leonardo Gaciba, chefe de arbitragem da CBF.

Santos