PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Coudet fala de novo em 'elenco curto' e cogita desatenção: "Um chute e gol"

Do UOL, em Porto Alegre

19/09/2020 22h32

Eduardo Coudet, treinador do Internacional, entende que a derrota para o Fortaleza, hoje no Castelão, foi injusta. Depois do jogo pela 11a rodada do Brasileirão, o técnico voltou a citar que o elenco é curto e atualmente tem muitos desfalques. O argentino ainda declarou que não quer "nem pensar quando forem três (competições ao mesmo tempo)".

O comandante do Inter ainda declarou não considerar normal defender a liderança com tantos jovens no time titular e fazendo atacante da base estrear fora de casa.

"Venho repetindo, vai nos custar mesmo. O elenco é curto, estamos jogando com garotos. Não é fácil jogar Brasileirão e Copa Libertadores com o que temos. Às vezes não podemos completar o banco e vamos seguir trabalhando. Não é o ideal, mas faço o possível com o que tenho", disse Eduardo Coudet.

A entrevista coletiva foi toda norteada pela citação ao número de jogadores disponíveis.

"Se para você é normal ser líder e jogar com tantos garotos e estreia de um atacante, a mim não parece normal, mas eu trabalho…", declarou ao falar sobre zagueiros à disposição.

Em raro momento onde falou do jogo em si, o argentino considerou a derrota injusta.

"Para mim, o resultado foi injusto. Tivemos a chance mais clara. Temos que melhorar algumas coisas, mas a efetividade do rival me chama atenção. Um chute no gol e perdemos. Não sei se é grande desatenção ou falta de completar as chances que tivemos. Mas me parece que tivemos mais que o rival, não só chances de gol ou risco, mas também situações que não terminaram no gol", opinou.

Depois, voltou a falar das mudanças no time entre uma partida e outra. Lembrando a volta da Copa Libertadores, na quarta-feira mais recente.

"Não podíamos ir com todos contra o Goiás, tinha jogo com América de Cali. E agora a mesma coisa, tem jogo importante quarta. É difícil a situação, é difícil um plantel tão curto jogar dois campeonatos. Nem quero pensar quando forem três. Mas vamos trabalhar", repetiu.

Futebol