PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Bastidores do SPFC: Polícia analisa computador que foi do vice e candidato

Roberto Natel - Reprodução
Roberto Natel Imagem: Reprodução

José Eduardo Martins e Ricardo Perrone

Do UOL, em São Paulo

17/09/2020 13h38

A Polícia Civil esteve no Morumbi na última terça-feira (14) e apreendeu para perícia o computador que era do vice do São Paulo, Roberto Natel. Candidato à presidência do clube, o dirigente apareceu como suspeito de vazar informações para um suposto hacker que chantageava dirigentes e conselheiros. Em contato com o UOL Esporte, Natel nega ter cedido documentos e disse ter se colocado à disposição para averiguação. Ele ainda alegou que esse equipamento era do Tricolor e que não era acessado por ele desde antes do caso do hacker.

"Eu tinha um computador na época em que tinha a sala de vice, mas faz muito tempo. Fico até contente de saber isso. Não era o meu computador. Há mais de ano que eu não usava esse computador, desde quando perdi a minha sala", disse Roberto Natel, que é dono de um posto de gasolina.

"Eu fui ao DEIC e perguntaram se tinha restrição de levar o meu computador [do posto de gasolina]. Eu levei lá e pedi a averiguação. Eu que abri o meu e-mail, eu que ofereci para levar o meu computador. Não tenho medo ou rabo preso, não sou mau-caráter. Eu me sinto confortável para descobrir essa história, porque isso é coisa de alguém lá de dentro", afirmou o dirigente.

O caso está sendo averiguado pela quarta delegacia de fraudes patrimoniais praticadas por meios eletrônicos. Como publicou o UOL Esporte, a diretoria do São Paulo registrou em cartório apuração que deixa o vice-presidente Roberto Natel sob suspeita de vazar informações.

Nove pessoas, entre conselheiros e diretores, receberam do departamento financeiro, por e-mail, o documento "Versão Final Orçamento 2020". Conforme apresentado para uma representante do 22° Tabelião de Notas de São Paulo, havia uma armadilha em cada e-mail.

Erros de acentuação, diferenças de pontuação e outras particularidades personalizaram os relatórios. Com os registros em mãos, representantes do clube checaram a cópia enviada pelo suposto hacker e constataram que a palavra prêmios (referentes ao Paulista) estava escrita sem acento.

Esse erro foi cometido propositalmente apenas na versão enviada para Natel. Ao menos uma das imagens registradas na ata notarial mostra o e-mail contaminado obtido pelo chantagista enviado para o presidente tricolor, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco.

Roberto Natel vai disputar a eleição presidencial no fim deste ano pela chapa Resgate Tricolor. Júlio Casares, da Juntos pelo São Paulo, é outro candidato. De acordo com o estatuto do clube, Leco não pode disputar o pleito em dezembro.

São Paulo