PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Academia de Zetti revelou talentos e treinou Everson antes do Atlético-MG

Everson, goleiro do Atlético-MG, treinou ao lado de Zetti em meio ao litígio com o Santos - Arquivo Pessoal
Everson, goleiro do Atlético-MG, treinou ao lado de Zetti em meio ao litígio com o Santos Imagem: Arquivo Pessoal

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

17/09/2020 04h00

Classificação e Jogos

Há 13 anos, Zetti criou ao lado dos sócios Fábio Mello e Guilherme Setúbal, a Academia de Goleiros Fechando o Gol. Consolidada no mercado de São Paulo, com mais de 400 matriculados, a empresa descobriu talentos para o esporte como Matheus Donelli, campeão mundial sub-17 pela seleção brasileira, e Daniel Fuzato, jovem goleiro ex Roma e hoje no Gil Vicente. A dupla, contudo, não é a única a passar com destaque pelo local. Everson, novo goleiro do Atlético-MG, manteve a forma no espaço durante o litígio com o Santos.

Em meio ao imbróglio jurídico com o clube da Vila Belmiro, o atleta de 30 anos procurou a academia que leva a assinatura de Zetti para seguir se exercitando. No espaço, fez treinos específicos para atletas de sua posição e manteve a forma. Não à toa foi titular do Galo depois de apenas três atividades com Jorge Sampaoli e seis meses sem jogar. O UOL Esporte conversou com Zetti e Fábio Mello, sócios da empresa, para falar sobre o trabalho feito no local.

"Isso aconteceu em 2006. A ideia começou quando estávamos fazendo Faculdade de Gestão do Esporte. Nós [Zetti e Fábio Mello] éramos da mesma classe. O Fábio me convidou para ser padrinho em um projeto dele e eu já tinha ideia de uma academia de goleiro. A gente foi entendendo e desde o começo, a ideia não era tirar os espaços de Rogério Ceni, Marcos, Dida... Queríamos dar chance a garotos e adultos que gostavam da posição, mas não tiveram chance em uma equipe profissional. A ideia era abraçar e qualificar o goleiro amador. Não é uma escola de goleiros, é justamente ter uma academia para dar bem-estar ao atleta e ao ser humano na parte individual com uma atividade física específica e diferenciada" disse Zetti.

"O Zetti teve essa idéia pela demanda de filhos de amigos que queriam ser goleiros e não tinham onde treinar. Ele comentou isso comigo, e com um plano de negócio bem definido, visão e convicção que realmente poderia dar certo, conseguimos transformar o sonho do Zetti em realidade. A participação do Guilherme Setubal [sócio] foi fundamental para a grandiosidade do Projeto. O Zetti é a marca da empresa, a referência, o grande nome. Guilherme e eu ficamos com a parte da gestão. O Zetti sempre acreditou que era possível aprimorar os goleiros com fundamentos, seja criança, adolescente ou adulto" comentou Fábio Mello.

Mesmo tendo como objetivo principal o futebol amador e iniciante, A Fechando o Gol recebeu nomes consagrados do esporte. Rubinho, Aranha e Márcio são alguns dos nomes que estiveram treinando ao lado de Zetti.

Guilherme, Zetti e Fábio Mello são sócios de academia de goleiros em São Paulo - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Guilherme, Zetti e Fábio Mello são sócios de academia de goleiros em São Paulo
Imagem: Arquivo Pessoal

"Tínhamos a ideia de receber atletas profissionais e já aconteceram algumas vezes nesses quase 13 anos. Como temos um equipe técnica altamente qualificada liderada pelo nosso coordenador Felipe, alguns atletas profissionais começaram a nos procurar para manter a forma. O Rubinho, que estava na Itália, quando veio ao Brasil, ficou quase seis meses com a gente. O Aranha, antes de ir para a Ponte Preta e depois de sair do Santos. O André Dias, do Juventus. O Tiago, que era do Corinthians, foi para a Portuguesa, Vasco. O Márcio, ex-goleiro do São Paulo e Grêmio. O Célio Gabriel, que jogou no Bangu e na Portuguesa do Rio, ficou muito tempo com a gente. A ideia era passar o treinamento que eu fazia na mesma escala profissional, isso acabou acontecendo, viramos referência e é motivo de orgulho para nós cada vez que um atleta profissional procura a Fechando o Gol para manter a forma" relatou Zetti, que ainda completou:

"O último grande nome foi o Everson, e foi muito legal. A gente sempre acolheu muito bem todos os profissionais. O ritmo é forte, mas a gente tem que entender a condição física de cada um. Tem o lado amador e tem o alto rendimento, que é o atleta profissional. A verdade é que temos um carinho especial por todos os nossos alunos/atletas"

Jovens de destaque também passaram pela Fechando O Gol nos últimos anos. Matheus Donelli, do Corinthians, Daniel Fuzato, ex Roma, e João Victor, do Ituano, também estiveram na academia.

"O goleiro da seleção brasileira do Mundial Sub-17 do ano passado, vencido pelo Brasil, iniciou aos sete anos de idade com a gente na Fechando o Gol. É o Matheus Donelli, que foi para o Corinthians, fez uma trajetória bonita e hoje faz parte do elenco profissional. Ele foi campeão do mundo e melhor goleiro do Mundial." citou Fábio Mello.

"Nós temos o João [Victor], que está no Ituano, também. O João disputou a Copa São Paulo no ano passado e faz parte do elenco principal do Ituano. Ele começou conosco com 12, 13 anos. Tem o Vitor Asnar e o Daniel Fuzato também. São garotos que treinaram bastante com a gente lá na academia", acrescentou Zetti.

O alto nível da academia fez com que profissionais deixassem o local para trabalhar em clubes gigantes do país. É o caso de Thales Damasceno, hoje no Palmeiras.

"O fato de sermos referência nessa atividade e possuirmos metodologia própria, criamos recentemente nosso curso de capacitação para profissionais nesta area. Além disso, Zetti e Felipe (coordenador da Fechando o Gol) foram convidados a dar palestras nos eventos da CBF Academy. Por essas e outras razões que, com frequência, nosso corpo técnico recebe convites para trabalhar em clubes profissionais, exemplo disso é o professor Thales, que trabalhou com a gente na Fechando o Gol por muito tempo e hoje é auxiliar do preparador de goleiros do time profissional do Palmeiras", comentou Fábio Mello.

Atlético-MG