PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Substituto de Guerrero começa sua primeira Libertadores pressionado

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

16/09/2020 04h00

Classificação e Jogos

Abel Hernández entra em campo hoje (16) com um peso sobre os ombros. O centroavante carrega a responsabilidade de substituir Paolo Guerrero no ataque do Inter. Contra o América de Cali, no Beira-Rio, a partir das 19h15 (de Brasília), o uruguaio disputará pela primeira vez a competição de clubes mais importante do continente.

Abel passou por duas equipes em seu país. O pequeno Central Espanhol, em que participou das categorias de base e fez um ano de principal, e o Peñarol, pelo qual disputou apenas oito partidas oficiais, em 2009, até ser vendido ao Palermo, da Itália, com 19 anos. Assim, ele nunca entrou em campo numa partida de Libertadores.

A carreira do atacante, hoje aos 30, se consolidou fora do continente e em times que não disputam as primeiras posições normalmente. Pelo Palermo, conquistou seu único título em clubes, a Série B da Itália. Em seguida, esteve no Hull City, da Inglaterra, no CSKA Moscou, da Rússia, onde ele mesmo admite que não foi bem, além do Al-Ahli, do Qatar.

Se falta experiência continental em clubes, sobra na seleção. Pela Celeste, o centroavante conquistou a Copa América de 2011 e ainda disputou as edições de 2015 e 2016. Esteve com a seleção na Copa do Mundo de 2014 e na Copa das Confederações de 2013, além dos Jogos Olímpicos de 2012.

No Internacional, Abel foi contratado com propósito de ocupar a lacuna deixada pela lesão de Paolo Guerrero, que só volta a atuar na próxima temporada. O peruano tem, de alguma forma, trajetória semelhante a do companheiro. Também deixou seu país muito cedo e construiu carreira fora. Mas já possui maior experiência na competição e em torneios maiores, com passagem, por exemplo, pelo Bayern de Munique.

Se o treinador Eduardo Coudet confirmar a escalação esperada, Hernández começará como titular sua segunda partida pelo Inter. Diante do Goiás, pelo Brasileirão, ele perdeu algumas chances de gol.

"A verdade é que Abel é um jogador com trajetória importante, jogou na Europa muito tempo, e pessoalmente é muito importante ter um jogador desta característica. Um atacante alto, como ele, Galhardo, Guererro, uma referência na área é importante nos cruzamentos. Ele chegou há pouco e com decorrer do tempo vamos conhecer mais. Estou contente com a chegada dele e dos outros que se somaram neste último tempo", disse o lateral Renzo Saravia.

A questão física será avaliada. Antes de atuar pelo Colorado, o uruguaio ficou um longo tempo afastado dos gramados. Era para ele ter jogado apenas 60 minutos diante dos goianos, mas a derrota forçou permanência na ânsia de buscar a igualdade, que quase aconteceu no último minuto, quando ele foi surpreendido por uma rebatida dentro da área rival e por pouco não marcou seu primeiro gol com a camisa vermelha.

A pressão já seria natural por substituir Guerrero, goleador da equipe nesta temporada até se lesionar. E a condição fica ainda mais forte porque na Libertadores de 2020, dos seis gols marcados pelo Colorado, três foram do peruano.

Internacional