PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Ministério divulga nota solidária a Neymar e lamenta: 'Não é primeira vez'

Do UOL, em São Paulo

15/09/2020 16h00

Classificação e Jogos

O MMFDH (Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos) divulgou hoje uma nota prestando solidariedade a Neymar após o caso de racismo ocorrido na partida entre PSG e Olympique de Marselha, no domingo. O atacante brasileiro foi expulso do jogo após uma discussão com o zagueiro rival Álvaro González. Neymar acusou o adversário de chamá-lo de "macaco".

"Diante de mais um caso de racismo que veio à tona no esporte, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) vem a público prestar solidariedade ao jogador Neymar Jr. O atacante chamado de "macaco" pelo zagueiro Alváro González, do Olympique de Marseille, foi expulso de campo após reagir ao ato preconceituoso com um tapa. Essa não é a primeira vez que Neymar é vítima de racismo no futebol", diz o texto.

Em campo, o ocorrido levou à expulsão de cinco jogadores — incluindo Neymar. O episódio foi amplamente debatido nas redes sociais, incluindo postagem de González, e também levantou uma série de discussões a respeito do preconceito no meio esportivo.

Na nota, o ministério diz condenar veemente qualquer tipo de violência, além de repudiar "episódios de discriminação contra a cor da pele".

Nessa ocasião, também aproveitamos para reiterar o nosso compromisso público para o fim do racismo no futebol e em toda a sociedade
Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos

"Racismo é crime. Se você é vítima ou conhece alguém que tenha sido discriminado, denuncie. Disque 100! Sua denúncia será registrada e encaminhada aos órgãos competentes", afirma a pasta em outro trecho do texto.

Ontem à tarde, o PSG publicou uma nota afirmando apoiar fortemente o camisa 10 e cobrando uma investigação da LFP (Liga de Futebol Profissional, responsável pela organização do Campeonato Francês) sobre o caso.

Futebol