PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Jean blinda jovens e chama responsabilidade para assumir bronca no Cruzeiro

Experiência do veterano é importante para deixar os jovens menos ansiosos em campo - Divulgação/Cruzeiro
Experiência do veterano é importante para deixar os jovens menos ansiosos em campo Imagem: Divulgação/Cruzeiro

Do UOL, em Belo Horizonte

14/09/2020 04h00

Classificação e Jogos

O retorno do volante Jean ao time do Cruzeiro foi positivo e elogiável para o técnico Ney Franco, que fez sua estreia na última sexta-feira (batendo o Vitória por 1 a 0). Além de ter chamado atenção no meio-campo, o veterano de 34 anos também foi peça importante ao orientar os atletas mais jovens da Raposa.

Embora já estejam jogando há mais tempo no time que o próprio Jean, os garotos Cacá (21 anos), Jadsom (19) e Maurício (19) tiveram uma conversa com o volante e receberam alguns toques para ficarem mais à vontade em campo.

"Nós já fomos garotos, já tivemos essa idade que os meninos têm. Acho que o mais importante é dar um respaldo para eles. Falei com o Maurício, com o Jadsom, falei que eles podem jogar. 'Joga tranquilo, estamos aqui para dar esse respaldo a vocês. Vocês têm que estar bem. Deixa que a gente segura a onda, a gente segura a bronca'. O próprio Cacá também, apesar de parecer um veterano jogando. É muito importante a gente dar essa liberdade para eles", comentou o jogador.

Na partida contra o Vitória, Jean deu provas de como segurar essa bronca. Ao sacar o volante Jadsom, Ney Franco deixou o time apenas com Jean no meio-campo, mas o veterano conseguiu se sair bem e foi até elogiado pelo treinador no final do jogo.

Essa participação de Jean, dentro e fora de campo, será importante para o Cruzeiro superar um velho problema. Por mais que conte com outros jogadores experientes, a equipe ainda dá muitas demonstrações de ansiedade em campo. Com o fim desse jejum de seis jogos sem vencer, a meta agora é se soltar ainda mais e emplacar uma sequência de triunfos para finalmente poder começar a sonhar com o G-4 na tabela.

"Eu queria usar aqui a palavra ansiedade. Tivemos dois momentos do jogo com esse problema de ansiedade. A gente viu que nossa equipe começou a se perder dentro de campo, com os jogadores querendo resolver muito numa correria quando a proposta do nosso jogo era mais posicional, de trabalho, de toque de bola. Mas é compreensível, a gente precisava vencer urgentemente", Disse Ney Franco, em sua entrevista após o jogo contra o Vitória.

Cruzeiro